×

Permanência estudantil | Reitoria, os estudantes não vão pagar pela crise! Contra o aumento do RU da UnB!

No dia 13, estudantes realizaram um importante ato em repúdio ao absurdo aumento para R$6,10, imposto pela Reitoria de Márcia Abrahão. Serão os estudantes mais precários, que pagarão por esse aumento. A Reitoria, apesar de se dizer “progressista” e a favor da ciência, está aplicando e muito bem os cortes de Bolsonaro, Mourão e do conjunto desse regime golpista.

quinta-feira 14 de outubro | Edição do dia

No dia 13, estudantes realizaram um importante ato em repúdio ao absurdo aumento para R$6,10, imposto pela Reitoria de Márcia Abrahão. Como foi apontado em diversas falas durnate o ato, serão os estudantes mais precários, moradores das satélites, negros, indígenas quilombolas e LGBTQIA+ que pagarão por esse aumento, e que na verdade isso enriquecerá ainda mais as empresas terceirizadas que sobrevivem com trabalho precário de mulheres negras das satélites e entorno.

Mas esse não é um ataque isolado. Isso é fruto do sucateamento absurdo devido à Lei Orçamentária Anual (LOA) de Bolsonaro, Congresso e o conjunto do regime do golpe institucional de 2016, com a cumplicidade do Congresso Nacional e STF, aprofundando ainda mais os cortes que o PT já havia fazendo. Hoje, somam-se cortes de 100% nos recursos para investimento e diminuição em 4,6% dos recursos na fonte do Tesouro para o pagamento de despesas discricionárias.

Nesse sentido, a Reitoria, apesar de se dizer “progressista” e a favor da ciência, está aplicando e muito bem os cortes desse regime golpista. Basta lembrar que essa é a mesma reitora que em 2018 aumentou o RU para R$5,20 enquanto demitiu mais de 500 terceirizados. Durante a pandemia, não foi diferente: mais de 3 terceirizados morreram pelo descaso racista da Reitoria, deixando-os sem EPIs e morrendo de COVID, além de demitir cerca de 20 porteiros e vigilantes. Enquanto isso, os estudantes receberam marmitas com larvas e plásticos mais de uma vez na CEU, essa mesma cuja laje despencou recentemente, o que poderia ter até mesmo matado alguém por conta do sucateamento. Além disso, a recente implementação do sistema SIGAA pela Reitoria criou uma burocracia ainda maior de acesso às bolsas de permanência, deixando muitos alunos fora do programa.

Diante de tanto desemprego e fome, a Reitoria da UnB serve como um tentáculo do Estado burguês para garantir que a ciência e tecnologia produzidas por essa grande universidade para os capitalistas - e não para servir à classe operária. Por isso, não podemos confiar na Reitoria. Nós da Faísca colocamos a necessidade para o conjunto da esquerda da abertura do livro de contas da universidade - afinal, temos direito de saber como está sendo usado o orçamento da UnB? É preciso abrir o orçamento para toda comunidade saiba a real situação e para onde vai o pouco orçamento que ainda resta, para além de sermos nós a decidir sobre como geri-lo saiba a real situação e para onde vai o pouco orçamento que ainda resta. Além disso, precisamos impor pela luta a revogação do aumento do RU e batalhar por bolsa-permanência com um valor digno e reajustável de acordo com a inflação.

Só essa força poderia impor pela luta a revogação do aumento do RU, e essa mesma força que pode ir além batalhando pela pela revogação do Teto de Gastos e de todas as reformas antioperárias e a efetivação de todos os terceirizados sem necessidade de concurso público. São os estudantes, trabalhadores e professores que deveriam organizar o orçamento da universidade, a fim de colocar a ciência realmente à serviço da classe operária e do povo pobre, algo que só pode ser conquistado com um governo dos três setores e a dissolução da Reitoria. Essa batalha é a mesma contra esse sistema capitalista miserável que tem à frente Bolsonaro, Mourão e todos os golpistas desse regime.

A UnB pode ser vanguarda na luta por permanência e pelo direito pleno de estudo para todos, exigindo da UNE e das centrais sindicais que rompam sua paralisia e organizem trabalhadores e estudantes pela base, para derrubar os cortes e reformas que precarizam a educação e atacam a juventude trabalhadora e toda classe operária, por um plano de lutas nacional rumo a uma greve geral para derrubar Bolsonaro e Mourão! Nosso inimigo é o mesmo, a luta por permanência também é uma luta contra o regime! Fazemos um chamado em especial à Oposição de Esquerda da UNE (PCB, UP e PSOL) para que desde suas entidades mobilizem ativamente suas bases para defender conosco essas ideias.

Nesse sentido, foi fundamental a realização desse ato, porém ele poderia ser mais forte se fosse construído pela base dos estudantes, de forma que eles fossem sujeitos de construir uma grande mobilização. Reivindicamos a realização da Plenária Aberta que o DCE promoveu nesta semana e colocamos a necessidade urgente que espaços como esses sejam promovidos sistematicamente, de forma que nossas entidades sirvam como instrumentos de luta e auto-organização, sem nenhuma confiança na Reitoria que passa os cortes do regime. Portanto, é fundamental que o conjunto da esquerda socialista rompa sua adaptação à majoritária da UNE que também está no DCE (este que é composto pelo PT, PCdoB, Levante, PSOL e PCB) a fim de fomentar ativa e periodicamente esses espaços de organização dos estudantes.

Por isso, fazemos um chamado ao DCE da UnB e ao conjunto dos CAs, como foi deliberado na última plenária aberta, que impulsionem e organizem ativamente campanha de fotos - na qual estamos somando - com a consigna “ Reitoria, os estudantes não vão pagar pela crise! Contra o aumento do RU!”. Publicamos em nossa página no Instagram, reafirmando a necessidade de unidade da esquerda socialista, a fim de mobilizar o conjunto dos estudantes e para que eles sejam sujeitos dessas lutas junto dos trabalhadores e mais oprimidos.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias