Educação

COVID NA EUROPA

Reabertura das escolas na Europa é adiada devido mutações do coronavírus

Países na Europa decidem fechar escolas por causa da falta de conhecimento que ainda existe sobre as novas cepas do vírus, como a taxa de transmissibilidade.

sexta-feira 29 de janeiro| Edição do dia

Foto: DAMIEN MEYER / AFP

Mutações do coronavírus têm freado o movimento de reabertura das escolas na Europa. Relatório do Banco Mundial aponta que 720 milhões de crianças continuam afetadas pelo fechamento total ou parcial dos colégios - número maior do que o observado em novembro, de 693 milhões.

Nos últimos dias, nações europeias reconsideraram a segurança de reabrir escolas. Segundo o Banco Mundial, "muitos países na Europa começam este ano estendendo o fechamento das escolas em parte por causa das preocupações sobre as cepas mais transmissíveis da covid-19". Em Portugal, o governo determinou em 21 de janeiro o fechamento de escolas e universidades por 15 dias.

A Alemanha também anunciou extensão do lockdown até 14 de fevereiro e o prosseguimento do ensino remoto. O Reino Unido, que enfrenta pico da nova variante da covid-19, também suspendeu aulas na escola. Na terça, o ministro da Educação, Nick Gibb, disse que a decisão de quando reabrir depende das taxas de internação, mortalidade, vacinação e "do desafio que as novas variantes trazem". Na Bélgica, onde uma em cada cinco contaminações é detectada em crianças e adolescentes, o ministro da Saúde, Frank Vandenbroucke, disse que "a vida na escola pode se tornar fonte de contaminação".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.




Tópicos relacionados

Reabertura das escolas   /    Vacina contra a covid-19   /    escolas públicas   /    escolas privadas   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Escolas   /    Europa   /    Educação

Comentários

Comentar