RACISMO

Racismo bolsonarista: Ministério de Damares apaga nota lamentando chacina no Jacarezinho

Após ataque de trupe bolsonarista nas redes, Ministério retira nota que lamentava as mortes em Jacarezinho.

segunda-feira 10 de maio| Edição do dia

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Na última sexta-feira, o Ministério da Família, Mulher e Direitos Humanos, comandado pela ministra reacionária Damares Alves, havia postado uma nota sobre a chacina que ocorreu na quinta-feira na favela do Jacarezinho (RJ) onde lamentava as 28 mortes e ressalta que ações de combate ao crime eram necessárias, mas que deveriam zelar pela proteção à vida.

Entretanto, nas redes sociais, a nota foi recebida pela trupe bolsonarista com rechaço ao posicionamento da pasta e alegando que as vítimas da operação eram todos criminosos, com exceção do policial.

Legitimados pelo próprio presidente, Jair Bolsonaro, que se pronunciou sobre o caso no Twitter com as seguintes palavras: "ao tratar como vítimas traficantes que roubam, matam e destroem famílias, a mídia e a esquerda os iguala ao cidadão comum, honesto, que respeita as leis e o próximo.".

Além disso, o vice-presidente, Hamilton Mourão, também disse que os mortos são "Tudo bandido".

A operação no Jacarezinho foi o maior massacre do estado do Rio de Janeiro, ao menos 13 não eram investigados na operação que resultou nos assassinatos a sangue frio pela polícia civil do Rio.




Tópicos relacionados

Chacina do Jacarezinho   /    Pronunciamento de Bolsonaro   /    BolsonaroGenocida   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os golpistas   /    Ministério da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos   /    Brutalidade policial   /    Bolsonaro   /    Repressão policial   /    Racismo de Estado   /    Racismo Estrutural   /    Racismo Policial   /    favelas   /    bolsonarismo   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Damares Alves   /    Governo Bolsonaro   /    Hamilton Mourão   /    Racismo   /    favela   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Jair Bolsonaro   /    Rio de Janeiro   /    Racismo   /    Violência policial   /    [email protected]   /    Política

Comentários

Comentar