RACISMO

Racismo: Professor de medicina em SP faz “blackface” para “ensinar” como atender pobres

Segundo estudantes, o professor Ronald Sergio Pallota FIlho, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa em São Paulo usou uma máscara preta para mostrar em sua aula como se relacionar com pacientes pobres. O ato racista gerou revolta e os alunos buscaram a comissão de Direitos Humanos e exigem providências.

quinta-feira 8 de outubro| Edição do dia

Imagem: Reprodução/G1

O ato racista do professor e médico da Santa Casa, Ronald Sergio Pallota Filho, de vestir uma mascara preta para encenar pacientes pobres - conhecido como “blackface” - aconteceu em aula ministrada para o 1º ano da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Os alunos filmaram a tela do computador no momento em que o professor usava a máscara. No vídeo ele fala de forma a humilhar a população pobre que necessita de ajudas médicas. “Eu não como essas comidas de fraco aqui do SUS, não, sabe? Eu não como não. Eu como comida de macho, de macho. Você está entendendo?” diz ele no vídeo.

Os alunos buscaram a comissão de Direitos Humanos e os residentes buscaram também a Comissão de Residência Médica, para pedir que medidas fossem tomadas. A faculdade disse que já abriu uma sindicância frente ao ao racista do professor.

Segundo alguns relatos de alunos ao portal G1 o professor racista é “muito arrogante e autoritário. Não aceita ser questionado, mesmo quando não está sendo questionado, basta fazer alguma argumentação técnica que ele perde a compostura”.

Um outro médico relatou também situações de abuso de autoridade de Ronald Pallota trabalhando na Santa Casa:

"Em um ambiente de pronto-socorro ele exige, da forma mais rude possível, imediatismo em questões burocráticas do atual plantão e de plantões passados. Esse tipo de atitude abusiva e grosseira dele é corriqueira".




Tópicos relacionados

Racismo   /    negras e negros   /    Saúde   /    [email protected]

Comentários

Comentar