Sociedade

CORONAVÍRUS

Quantos leitos e kits de teste do coronavírus poderiam ser pagos com as grandes fortunas?

A todo o momento, os representantes da burguesia falam que as medidas para lidar com a pandemia são “caras”. Mas vinte bilionários do Brasil detém uma fortuna infinitamente maior do que a renda da grande maioria da população. O que seria possível, em um momento de crise como este, se essas fortunas fossem taxadas e colocadas a serviço da saúde da população?

sábado 21 de março| Edição do dia

O valor estimado das 20 maiores fortunas do Brasil combinadas dão cerca de 118 bilhões de reais, que sofrem pouquíssima taxação e que fazem dinheiro fluir quase que livremente pelo mercado financeiro internacional, aumentando a própria renda de maneira quase indefinida. Enquanto isso mais 170 milhões de brasileiros vivem com salário menor do que 8 mil reais.

Sabemos que o peso dos impostos é desproporcional aos mais pobres: quanto mais embaixo da “pirâmide social” do capitalismo, proporcionalmente mais imposto se paga, e o contrário verdadeiro, quanto mais rico, proporcionalmente menos imposto se paga. Na verdade a taxação dos super ricos pode ser considerada nula, é um valor que não fara falta nenhuma ao patrimônio deles. E a raiz de todo esse dinheiro não é outra senão a exploração do trabalho de milhões de pessoas. Agora, o que poderia ser feito com todo esse dinheiro se ele fosse de fato taxado, pudesse ser usado não em benefício de 20 pessoas, mas sim de toda população? Qual a diferença que poderia ser feita na crise do corona vírus? Fizemos alguns cálculos:

• 3 bilhões de kits de testes para o corona vírus – Uma empresa estadounidense está disponibilizando no mercado ao preço de 6,95 dólares um kit para as pessoas realizarem testes em casa. É desnecessário dizer que esta quantidade de kits é mais do que suficiente para atender toda a população.

• 900 mil novos leitos de UTI – No início do ano o ministério da saúde alegou ter investido 185 milhões de reais para entregar 1.424 leitos de UTI no SUS. Com a taxação das grandes fortunas, era possível construir um número 600 vezes maior, o que certamente reduziria em muito o número de mortes pelo coronavírus.

• 24 vezes o valor que o governo destinou ao SUS para lidar com a crise – O plano de emergência de Paulo Guedes para a economia contou com mais de 140 bilhões para ajudar os capitalistas, mas deste montante apenas 4,5 bilhões seriam para o SUS.

Enquanto a pandemia avança, o governo e os capitalistas querem fazer a população pagar pela crise. A classe trabalhadora é que vai precisar se unir para enfrentar esta crise, exigindo a taxação imediata das grandes fortunas bem como o não pagamento da fraudulenta, ilegítima e ilegal dívida pública, para financiar a centralização de todo atendimento médico e hospitalar na rede pública sob o controle dos trabalhadores, com disponibilização imediata de testes massivos e de todos os leitos privados, pagos pelos capitalistas. A nossa saúde vale mais que o lucro deles!




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Sociedade

Comentários

Comentar