Internacional

Protestos antirracistas se espalham por diversas cidades dos EUA

As manifestações por justiça no caso Breonna Taylor continuam e se espalham por diversas e importantes cidades dos EUA contra a violência policial e o racismo.

sexta-feira 25 de setembro| Edição do dia

Nos últimos dias, tem se visto novamente a população dos Estados Unidos ocuparem as ruas de diversas cidades contra a resolução da justiça realizada nesta quarta-feira, 23, deações indiciar com três acus criminais, nenhuma delas por assassinato, somente um dos policiais presentes e responsáveis pelo assassinato de Breonna.

Para saber mais: Milhares saem às ruas após decisão em caso de Breonna Taylor em Louisville

Desde então, os protestos se espalharam por outras cidades do gigante norte-americano como Nova York, Portland, St. Paul, Chicago, Seatlle, Atlanta, Denver e Milwaukee, regiões do país que, desde o levante negro em maio após o assassinato de Floyd, têm sido palco de protestos raciais contra a polícia.

As autoridades municipais pedem por calma à população, respondendo com repressão policial às manifestações e declarando estado de emergência com toque de recolher na cidade de Louisville, onde começaram a ter protestos mais radicalizados e de enfrentamento com a repressão policial, e mais de 45 pessoas foram presas nesta quinta-feira, 24.

Além da população nas ruas em diversas cidades e centros importantes dos Estados Unidos, artistas e esportistas conhecidos vêm fazendo declaração contra a violência policial e lembrando o assassinato de Breonna Taylor. É o caso de LeBron James, astro do basquete americano que em outras ocasiões já se manifestou contra a polícia e o racismo estrutural, ou de Justin Jackson, jogador de futebol americano que apontou como “os assassinos de Breonna Taylor escapando impunes sem nem mesmo um julgamento é exatamente a podridão sistêmica pela qual as pessoas estão protestando”, apoiando o movimento e a fúria negra que ao longo deste ano tem sacudido o país.




Tópicos relacionados

VIDAS NEGRAS IMPORTAM   /    #BlackLivesMatter   /    Racismo EUA   /    Violência policial   /    Internacional

Comentários

Comentar