Mundo Operário

PROFESSORES EM ESTADO DE GREVE

Professores do Recife entram em estado de greve, em defesa de suas vidas

Quase 800 professoras e professoras da rede municipal do Recife votaram à favor de entrarem em estado greve nesta segunda-feira(26), contra as aulas presenciais e mantendo as aulas remotas, contra a determinação do estado e da prefeitura de reabrir as escolas em um momento crítico da pandemia, onde há alta contaminação e 97% das UTIs ocupadas.

terça-feira 27 de abril| Edição do dia

Foto: Reprodução/YouTube

Pouco menos de 800 professores da rede municipal do Recife estiveram em assembléia virtual na manhã desta segunda-feira (26), onde votaram entrar em estado de greve, contra as aulas presenciais e pela manutenção das aulas remotas. O estado de greve é uma reação contra determinação do governo do estado e prefeitura de reabrir as escolas em um momento em que há alto índice de contaminação e 97% das UTIs ocupadas, que expressam o descaso dos governantes com as vidas trabalhadoras.

Além da defesa da continuidade das aulas remotas,os professores e professoras reivindicam a vacinação para profissionais da educação e comunidade. Também foi votado como reivindicação a garantia de condições tecnológicas e técnicas para professoras e estudantes conseguirem manter as aulas não presenciais.

"Durante 1 ano e 1 mês de decretação dessa tragédia sanitária, em Pernambuco já conta com mais mortes por covid-19 do que a média anual de mortes de forma violenta. Portanto, não é hora de reabrir as escolas. Mas, se os representantes da administração pública, Paulo Câmara, João Campos e o Secretário de Educação negam essa realidade genocida, a categoria, professoras e professores estão decidindo tomarem em nossas mãos a tarefa urgente da defesa de nossas vidas, das crianças e da comunidade escolar. DEFENDEMOS a manutenção das atividades REMOTAS, com a garantia de acesso à internet e tecnologia para as famílias, e a vacinação para trabalhadores em educação e toda a comunidade escolar", declarou Cláudia Ribeiro, Coordenadora Geral do SIMPERE (Sindicato dos Professores da Rede Municipal do Recife).

Também se votou à favor da cobrança da melhoria do Saúde Recife (que é Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Municipais do Recife), a elaboração de uma carta aberta sobre o estado de greve com manutenção das atividades remotas para salvar vidas, apoio à vacinação em massa de toda a população, e a participação na luta do 1º de maio (Dia do Trabalhador) em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, sem a presença de " convidados" como FHC, João Dória, Marina Silva, Arthur Lira (presidente do Congresso Nacional que encaminhou o PL 5595/2020), entre outras decisões internas.

O prefeito do Recife, João Campos, e o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, ambos do PSB, se unem contra as vidas trabalhadoras, atuando de forma totalmente irresponsável em relação ao combate à pandemia, sendo responsáveis por milhares de mortes e contaminações por COVID-19. Sendo um dos setores mais expostos ao vírus, é a comunidade escolar junto aos trabalhadores da saúde que devem ter voz para decidir quando as aulas devem voltar!

Veja também: Com voltas às aulas irresponsável, cresce número de crianças e adolescentes infectados com covid-19 em Pernambuco

Com auxílio emergencial de João Campos, pessoas não sairiam da extrema pobreza




Tópicos relacionados

Ensino remoto   /    Nordeste   /    João Campos (PSB-PE)   /    Paulo Câmara (PSB)   /    Pandemia   /    Ensino à distância   /    Pernambuco   /    Recife   /    Nordeste   /    Greve   /    Educação   /    Recife   /    Professores   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar