×

REABERTURA DAS ESCOLAS EM SP | Profa. Marcella do Nossa Classe Educação denuncia sobre condições das escolas estaduais

Ontem, 10, Professora Marcella denunciou, em matéria no SPTV da Rede Globo, a falta de estrutura nas escolas diante reabertura imposta pelo governador João Doria e o secretário da Educação Rossieli Soares, que mentem para impor o retorno das aulas presenciais de forma insegura e expor ainda mais a população durante recrudescimento da pandemia.

quinta-feira 11 de fevereiro | Edição do dia

Foto: reprodução

Marcella Campos, professora da escola estadual João Baptista e militante da agrupação Nossa Classe Educação - MRT, denunciou hoje no SPTV1 da Rede Globo, a falta de manutenção, problemas estruturais nas escolas (que já existiam antes da pandemia), além de que as escolas não estão recebendo do governo estadual os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados. Máscara e Face Shield estão sendo levados pelos próprios professores e alunos recebem máscaras inapropriadas.

"Alunos das séries menores estão recebendo máscaras fora do tamanho do rosto, muito grandes! Eles mal conseguem ficar com elas!", disse Marcella.

Veja também: Com uma semana de escolas abertas o saldo de contaminação por Covid já é assustador.

Pior está sendo a questão da limpeza. Marcella denunciou que o governo deixa pouquíssimas trabalhadoras da limpeza responsáveis por uma extensão enorme de espaço. Sobre isso, o Esquerda Diário já vem recebendo denúncias de outras escolas, onde uma única trabalhadora ou duas são responsáveis em limpar uma escola inteira para cumprir todo o protocolo irrealizável que o governo demagogicamente divulga na mídia, mas que na prática não garante condições para sua aplicação.

As escolas estaduais paulistas estão reabrindo com muitas falhas de estrutura: problemas de ventilação, falta de energia,falta de água, obras inacabadas, áreas internas que chove e mato alto são reclamações recorrentes dos trabalhadores da educação, alunos e familiares.

A mando do governador João Doria (PSDB) e do Secretário de Educação Rossieli Soares, cerca de 85% (4.500 unidades) das 5.300 escolas estaduais reiniciaram atividades presenciais nesse início de 2021 em meio a pandemia. Dessas, 67 unidades não reabriram por problemas estruturais. 7 unidades também permaneceram fechadas porque tiveram casos suspeitos ou confirmados de coronavírus entre trabalhadores e professores antes do início das aulas.

Os professores da rede estadual da cidade de São Paulo estão em greve contra o retorno precário e inseguro das aulas presenciais imposto por Doria e Rossieli. Se recusar a dar aulas presencias em meio a pandemia e sem a infraestrutura necessária é uma medida elementar em defesa da vida e do não agravamento da pandemia por parte dos professores e todos os trabalhadores da educação.

Veja aqui: Estamos em Greve! Contra o retorno inseguro de Doria, Rossieli e o negacionismo de Bolsonaro.

Por isso, é a comunidade escolar juntamente com trabalhadores da saúde que devem decidir quando e como retornar às aulas presenciais e como atender às necessidades dos estudantes.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias