Política

GOVERNO BOLSONARO

Privatização de Bolsonaro: Petrobras entrega mega-campo com 75% OFF

Sob mando de Bolsonaro a ordem é entregar todas riquezas nacionais e a qualquer custo. Empresa australiana comprou por US$665 milhões, pagou só 49,9 milhões e Petrobras deixou ela pagar restante só em 2026. Enquanto isso vai lucrar bilhões.

sábado 25 de julho| Edição do dia

O entreguismo não tem limites. É um projeto político de entregar tudo que puder. Ajudar empresas imperialistas a se enriquecer sugando riquezas nacionais. Isso incluiu entregar 8 refinarias, diversos campos terrestres e marítimos de produção de petróleo. E entregá-los a qualquer custo. O campo de Baúna, um dos maiores do país, foi abocanhado pela australiana Karoon Energy com 75% de desconto.

Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Petrobras informou que ajustou os termos do contrato de venda do Campo de Baúna (BM S-40), localizado em águas rasas na Bacia de Santos, para a australiana Karoon Energy. Ajuste é o nome que dão para desconto neste crime contra as riquezas nacionais.

De acordo com a petrolífera, os ajustes são em relação ao prazo das duas parcelas que a Karoon tem que pagar pela transação, de valor total US$ 665 milhões, anunciada em julho de 2019. A primeira prestação, de US$ 380 milhões, conta com US$ 49,9 milhões já pagos pela empresa australiana em 24/07/2019, e US$ 150 milhões, que no acordo original seria pago na data da fechamento da venda, teve prazo estendido em até 18 meses após a conclusão da transação. Uma segunda parcela contingente, de US$ 285 milhões, será quitada até 2026.

Fazendo as contas é um desconto, ou uma prorrogação de prazo - sem juros - de 75,04% do valor.

O detalhe sórdido da conta lesa-pátria é que o mega-campo de Baúna, localizado na Bacia de Santos é o 19o maior campo de produção do país, produzindo 17mil barris de petróleo por dia em março deste ano, segundo dados do boletim mensal da ANP. Até 2026 esse campo (que começará a decair por volta desta data até esgotar-se em 2031, terá produzido pelo menos 33.575.000 de barris, o que ao valor atual significa US$1.387.990.000,50. A empresa vai pagar 49 milhões de dólares extrair 1,4 bilhões e só depois disso pagar menos de metade desses 1,4bi. Um negócio completamente ímpar, sem lógica que não a do entreguismo.

As riquezas nacionais estão sendo dilapidadas e entregues ao imperialismo, é preciso re-estatizar sem indenização todas a produção de petróleo, colocando-a sob uma Petrobras 100% estatal e administrada democraticamente por seus trabalhadores e pela população para que essa imensa riqueza sirva ao povo brasileiro.

Com informações da ANP e da Agência Estado




Tópicos relacionados

Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Política

Comentários

Comentar