Política

Primeiro-ministro italiano renuncia devido à falta de apoio parlamentar

Giuseppe Conte, apresenta sua renúncia nesta terça-feira após a crise causada pela retirada da coalizão governista do partido Italia Viva de Matteo Renzi.

terça-feira 26 de janeiro| Edição do dia

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, comunicou pela manhã sua intenção de renunciar em um Conselho de Ministros e depois se apresentará ao Presidente da República, Sergio Mattarella, no Palácio do Quirinale, em Roma.

Sua intenção é conseguir uma nova comissão do presidente para formar um governo, a terceira em dois anos e meio, dada a atual falta de apoio na Câmara dos Deputados e no Senado após a saída da coalizão de governo da formação de Renzi no último dia 15 de janeiro.

Naquele dia explodiu a crise política que agora obriga a renúncia de Conte porque, com a saída de Italia Viva, a coalizão governista perdeu 80 deputados e 18 senadores, além de dois ministros e o subsecretário de Relações Exteriores.

A ruptura, conforme explicado pelo próprio Renzi, foi gerada a partir de divergências na gestão da pandemia. A segunda onda na Itália já durava vários meses naquela época e estava praticamente fora de controle, com mais de 80.000 mortes e um sistema de saúde em colapso.

Com a renúncia do primeiro-ministro, o melhor cenário para o dilacerado regime político italiano é que Conte consiga formar um novo governo com outras alianças parlamentares. Se isso não for possível, a saída mais abrupta seria dissolver a atual Legislatura, que começou em março de 2018 e deve durar até 2023, e convocar novas eleições para renovar as duas Casas.




Tópicos relacionados

Crise política   /    Política   /    Internacional

Comentários

Comentar