×

Ucrânia | Primeiro dia de invasão russa deixa 137 mortos e 316 feridos, afirma presidente ucraniano

Informação foi repassada por Volodmir Zelenski, presidente da Ucrânia nesta quinta-feira, 24/02. As ações de Putin favorecem o expansionismo imperialista da OTAN. Biden, Scholz e Macron certamente vão utilizar esse precedente para incrementar a presença de seus efetivos terrestres, marítimos e aéreos sobre múltiplos países, colocados sob a opressão do Ocidente.

sexta-feira 25 de fevereiro | Edição do dia

Foto: ARIS MESSINIS/AFP

Saldo total do primeiro dia de ataque das forças russas à Ucrânia: 137 mortos, entre soldados e civis, e 316 feridos. A informação foi passada por Volodmir Zelenski, presidente ucraniano, nesta quinta-feira (24). Mais cedo, o Ministério da Saúde da Ucrânia havia informado um número menor de mortos e feridos.

De acordo com a agência EFE, a Rússia não informou se militares do país foram mortos durante a ofensiva, que se iniciou no fim da madrugada desta quinta-feira, no horário local.

As Forças Armadas da Rússia usaram armas de alta precisão contra infraestruturas militares, e, embora o Ministério da Defesa do país tenha garantido que civis não foram atacados, pelo menos quatro foram mortos hoje, em uma ofensiva de milícias separatistas pró-Rússia contra um hospital na região de Donetsk.

Pode te interessar: Não à guerra na Ucrânia: fora as tropas russas de Putin, abaixo a OTAN e o imperialismo!

Neste primeiro dia de invasão, milhares de ucranianos deixaram o país rumo às nações vizinhas Hungria e Romênia. Houve informações de engarrafamentos quilométricos em estradas que levam à saída de Kiev, capital da Ucrânia.

Veja também: Protestos contra a guerra tomam a Rússia e outros países! Liberdade imediata de todos os presos!

As tropas russas devem sair imediatamente da Ucrânia. Basta de intervenção militar: a Ucrânia não pode continuar sendo moeda de troca para a ingerência do imperialismo estadunidense e da OTAN, nem para a intervenção militar do reacionário nacionalismo russo. Abaixo a OTAN! O nacionalismo capitalista russo encabeçado por Putin não é nenhuma alternativa ao imperialismo ocidental. Nenhum acordo com a burguesia nacional ucraniana. A possibilidade de uma Ucrânia independente está intrinsicamente ligada à luta contra os capitalistas e oligarcas de ambos os lados. Somente os trabalhadores ucranianos auto organizados, junto a seus irmãos de classe em todo o Leste europeu e na Rússia, podem encontrar uma saída independente e progressista para as atrocidades sofridas. Por uma Ucrânia independente, operária e socialista, que seja a base para os Estados Unidos Socialistas da Europa!

Veja mais: Querendo sangue, o reacionário Mourão defende ofensiva militar contra a Rússia na Ucrânia




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias