Educação

VOLTA ÀS AULAS

Primeira escola municipal de São Paulo reabre para atividades presenciais

Das 4 mil escolas municipais de São Paulo, a única e primeira retornou às atividades presenciais nesta quarta-feira, 07. É a CEI Penha Bom Jesus que com regime especial e escalonado, abriu as portas.

quinta-feira 8 de outubro| Edição do dia

Foto: Reprodução/TV Globo

Nesta quarta-feira, 7, a primeira e única escola municipal de São Paulo reabriu as portas para atividades extracurriculares, atendendo 17 dos 120 alunos pertencentes à CEI Penha Bom Jesus na zona Leste da capital paulista.

Na cidade estão mais de 4 mil escolas municipais que desde o dia 26 de setembro foram permitidas pela prefeitura no Diário Oficial de reabrirem para realização de atividades extracurriculares como reforço escolar, curso de idiomas, aulas recreativas, acompanhamento psicológico, dentre outros tipos de atividade. A decisão de reabertura ficou a cargo de cada comunidade escolar e corpo de direção e por enquanto, somente a CEI Penha Bom Jesus anunciou volta às atividades presenciais.

Enquanto isso, na rede particular o índice de reabertura nessa semana é de 80% segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieeesp). Segundo a diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (Ceipe) da FGV, Claudia Costin, essa discrepância entre a reabertura das escolas particulares e municipais na capital paulista “aumenta a desigualdade educacional, que já era muito grande antes da pandemia”.

Para um retorno seguro às atividades presenciais é preciso que toda a comunidade escolar, seja da rede pública, seja da rede privada, possam discutir e opinar, analisando toda a situação e garantindo segurança no regresso. Historicamente as escolas da rede pública apresentam baixa infra estrutura em relação a serviços mínimos, por falta de investimento do Estado, o que faz com que muitas vezes sequer tenham água nos banheiros o que compromete a higienização ainda mais nesse momento de pandemia e crise sanitária. Por isso a reabertura das escolas deve ser discutido e analisado, além de contar com investimento nos métodos de segurança e prevenção que no caso da rede pública deve ser garantido pelo estado e prefeitura.

Pode te interessar: Frente à reabertura das escolas, por onde anda a Apeoesp?




Tópicos relacionados

escolas públicas   /    Educação   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar