ABSURDO

Presidente dos Bispos do Brasil diz que nada justifica o aborto, se referindo ao caso da criança de 10 anos

Dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da conferência Nacional dos Bispos do Brasil publicou uma nota colocando que não existem justificativas para o aborto. Para os fundamentalistas religiosos e a extrema-direita a vida das mulheres não importa, nem mesmo se for de uma criança de 10 anos violentada desde os 6.

terça-feira 18 de agosto| Edição do dia

A criança era ameaçada de morte caso contasse os abusos sexuais sofridos pelo seu tio, e o caso só veio a ser descoberto porque lamentavelmente a criança foi vítima de uma gravidez forçada. Mesmo sendo vítima desde dos seis anos de idade os fundamentalistas religiosos e a extrema direita defenderam a maternidade forçada para essa criança, independente se foi vítima de constantes estrupo, independente da gravidez colocar sua vida em risco. Esses setores fundamentalistas encontram apoio no governo de extrema-direita de Bolsonaro, que na sua campanha eleitoral deixou claríssimo abolir com direito ao aborto, mesmo se for em caso de estupro, risco de morte da mãe ou feto anencefálico.

" A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se justifica, diante de todos os recursos existentes e colocados à disposição para garantir a vida das duas crianças...." afirmou o presidente da conferência nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Segundo o Ministério da Saúde, por ano morrem em média 850 mil à 1 milhão de mulheres realizam abortos clandestino, e das quatro mulheres que morrem por dia vítima do aborto clandestino, três delas são negras. O racismo estrutural mais uma vez aponta que as principais vítimas das misérias capitalista serão as mulheres negras e pobres que tem seu direito ao seu próprio corpo negado, enquanto um casta asquerosa do Vaticano e representantes da burguesia são falsos moralistas até o pescoço e inclusive com muitos deles envolvidos em abusos sexuais contra menores.

No entanto, mesmo em um cenário que quase um milhão de mulheres são vítimas das condições precárias do aborto clandestino, o próprio PT nada fez por essa pauta histórica do movimento de mulheres. Por isso não é alternativa para as mulheres e os trabalhadores. Sabemos que não é de hoje que o PT faz alianças com alas da direita e com o fundamentalismo religioso em nome de administrar o capitalismo. Independente se essas alianças afetarem o conjunto da classe trabalhadora, em nome do eleitoralismo e das alianças o PT se coloca como aliado de alas que representam o que tem de mais podre no regime.

Os anos de petismo no Brasil demonstraram que PT nunca levou a frente a pauta pela legalização do aborto e os direitos mais elementares da classe trabalhadora, principalmente das mulheres negras e pobres que em 13 anos de governo de Lula e Dilma continuaram morrendo em abortos clandestinos ou perdendo seus filhos para as balas da polícia. E como se não bastasse os anos de conciliação e a paralisia das centrais sindicais dirigidas pelo PT, o Partido dos Trabalhadores apoia um bolsonarista em Belford Roxo no Rio de Janeiro. Nada mais nocivo para a luta pelo aborto do que o apoio aos aliados de Bolsonaro.

Nós do esquerda diário e do grupo de mulheres Pão e Rosas nos solidarizamos ao caso da menina de 10 anos vítima de violência sexual. Lutamos por um Estado Laico que garanta a liberdade religiosa e absoluta separação do Estado e das igrejas, e que todas as mulheres possam decidir sobre o seu próprio corpo e tenha direito ao aborto, legal, seguro e gratuito.




Tópicos relacionados

Sara Winter   /    Igrejas Evangélicas   /    Governo Bolsonaro   /    Separação da Igreja e do Estado   /    Igreja Católica   /    Jair Bolsonaro

Comentários

Comentar