Política

ELEIÇÕES RJ

Presidente da ALERJ e deputado do PT, André Ceciliano, pede votos para candidato do PSL

André Ceciliano, deputado estadual do PT pelo Rio de Janeiro e atual presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janiero, gravou vídeo pedindo votos para o candidato do PSL, Bruno Vianna, em Campos dos Goytacazes. O apoio do deputado do PT ao PSL é mais uma demonstração do vale tudo eleitoral do PT, que diz querer combater a extrema direita nas urnas enquanto se alia a ela. O que é ainda mais contraditório é que o PT tem chapa própria em Campos dos Goytacazes e 11 candidaturas à vereador.

segunda-feira 2 de novembro| Edição do dia

Vídeo do apoio ao PSL postado na pagina do candidato da extrema direita:

Entretanto, não é a primeira vez que vemos alianças do PT com bolsonaristas e golpistas, mostrando que esse partido está na contramão de qualquer combate à direita. A tradição do PT de coligações com a direita em nome de resultados eleitorais é antiga, mas nestas eleições deu um salto em seu oportunismo, se coligando até mesmo com o antigo partido de Bolsonaro, o PSL. De acordo com dados do TSE, o PT se coligou ao PSL em 140 municípios de 21 estados.

Além do apoio e coligação com o PSL, o PT vem mostrando se importar mais com o apoio da base evangélica e das cúpulas das Igrejas ao votar a favor da proposta que oferece o perdão de R$ 1 bilhão em dívidas das Igrejas. Foram 4 deputados do PT que votaram a favor: Benedita da Silva (PT-RJ), Carlos Zarattini (PT-SP), José Ricardo (PT-AM) e Zé Neto (PT-BA).

Não há como não citar também a cogitação do PT de permitir que um sargento da Polícia Militar, que foi citado como integrante de grupo de milícia, se filie ao partido. Alex Beraldo, que foi citado no relatório final da CPI das Milícias realizada na Alerj em 2008, apontado pela Assembleia como integrante do grupo de milicianos que atuava em Paciência, Santa Cruz e Sepetiba, na Zona Oeste da capital do RJ queria se filiar e se candidatar pelo PT.

Isso se mostra um absurdo frente à situação caótica do RJ, onde 57% da área da capital é dominada pela milícia, de acordo com dados do estudo Mapa dos Grupos Armados do Rio de Janeiro. Além disso, a milícia também conta com a parceria de policiais, facções e Igrejas pentecostais, de acordo com estudo da Rede Fluminense de Pesquisas sobre Violência, Segurança e Direitos Humanos.

Para derrotar Bolsonaro, Mourão e os golpistas a esquerda não pode repetir a estratégia derrotada de conciliações do PT, devendo superá-la pela esquerda. Por isso, o Esquerda Diário considera que as eleições devem servir para preparar uma posição de independência de classe dos trabalhadores a nível nacional, já que nenhum problema municipal pode ser resolvido sem um grande combate ao governo federal. Defendemos uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana em que todos poderíamos nos candidatar e eleger livremente nossos representantes, permitindo que a população decida os rumos do país.




Tópicos relacionados

Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Governo Bolsonaro   /    PSL   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Eleições Rio de Janeiro   /    PT   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar