×

Sebastião Melo | Prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, realiza restauro de pintura com suástica nazista no Parque Redenção

Após uma reforma realizada em fevereiro de 2020 no Parque da Redenção, local turístico e muito frequentado de Porto Alegre (RS), apareceu em um trecho, no piso, uma imagem de uma suástica nazista, ainda que modificada, mas mantendo seu padrão de linhas e cores.

quinta-feira 14 de outubro | Edição do dia

Por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade (SMAMUS), a prefeitura informou que os detalhes daquele trecho do parque fazem parte de sua pintura original e foi realçado por meio de um restauro em 2020.

O fato é que a sua pintura original é datada de 1935 e fez parte da Exposição Internacional Agrícola e Industrial de Comemoração do Centenário da Revolução Farroupilha, que comemorava a farsa chamada de revolução e o racismo reacionário da cultura farroupilha. Exemplo disso é que foi só depois da Exposição de 1935 que o Parque da Redenção (naquela época chamada de Campo da Várzea ou Campo da Redenção), um local de grande importância na história da luta contra a escravidão dos negros do sul, onde concentravam-se negros recém libertos em 1884, teve seu nome oficial mudado para Parque Farroupilha.

Leia mais: Dia 20 de Setembro: o que é comemorado pelos gaúchos?

A Exposição Farroupilha contou com milhões de visitantes e foi realizada pelos colaboradores do regime ditatorial de Vargas. O prefeito da cidade na época era Alberto Bins, indicado por Flores da Cunha (interventor federal no RS, e participante direto do golpe de estado de 1930). O projeto de reforma que transformará o Campo da Redenção em sede da exposição foi realizado por Alfred Agache, um arquiteto francês colaborador do Regime Vargas. Agache realizou reformas em diversas capitais brasileiras, e com o final da Era Vargas e a ascensão da extrema-direita na Europa voltou para Europa, retornando ao Brasil novamente somente em 1939. Durante a exposição nacionalista, cada capital teve um pavilhão.

Destaca-se o pavilhão do Estado de Santa Catarina, onde uma bandeira nazista é vista no mastro em frente ao prédio.

Bandeira nazista hasteada no pavilhão de Santa Catarina na Exposição Farroupilha de 1935
Bandeira nazista hasteada no pavilhão de Santa Catarina na Exposição Farroupilha de 1935

É essa a história que está por trás da pintura que hoje causa repulsa na juventude de Porto Alegre, e que precisa ser repudiada até o fim. Estas alusões ao nazismo já haviam aparecido mesmo em 2020, com o secretário da cultura de Bolsonaro, Roberto Alvim, replicando o discurso e a estética do ideólogo nazista Joseph Goebbels. É essa a história que hoje o prefeito Melo se faz conivente, afirmando que não irá apagar a alusão a suástica nazista do Parque da Redenção.

O Prefeito de Porto Alegre (Melo), faz recorrentemente ataques aos trabalhadores da cidade, como nos casos da privatização da empresa de transporte público Carris e na extinção dos cobradores, que pode acarretar na demissão de mais de 3.000 trabalhadores; no ataque às aposentadorias dos servidores municipais (reforma da previdência dos municipários); no combate a pandemia, que foi destaque internacional no New York Times como exemplo de barbárie, e ainda expressou em suas próprias palavras sua política nefasta: “Contribua com a sua vida para salvar a economia”, disse Melo ao final de fevereiro.”

É preciso jogar na lata de lixo da história o que foi o nazismo e toda a herança reacionária da tradição farroupilha, que faz parte da história da elite racista de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias