×

FORA BOLSONARO, MOURÃO E OS GOLPISTAS | Por um Comitê Nacional para a construção da greve geral contra Bolsonaro e Mourão

Nas ruas, a nossa classe já vem demonstrando disposição para lutar. Mas diferente de uma saída construída com a direita golpista desse regime político que atacou direitos e precarizou nossas vidas, é preciso construirmos uma saída independente, para que possamos enfrentar Bolsonaro, Mourão e todo esse regime que vem descarregando em nós a crise capitalista.

quarta-feira 7 de julho | Edição do dia

Foto: Ato do 19J na Avenida Presidente Vargas/RJ (Pedro Rocha/Sintufrj)

O golpe institucional de 2016 abriu espaço para figuras grotescas como Bolsonaro e Mourão, e foi resultado da crise econômica mundial, quando os capitalistas atuaram e ainda atuam em todo o mundo, com o objetivo de fazer com que seja a nossa classe trabalhadora que pague por essa crise criada por eles.

Por isso, não podemos confiar em qualquer figura que faça parte desse leque de personalidades golpistas do regime, estando ou não ao lado de Bolsonaro neste momento. Mesmo que tentem através dessa CPI lavarem a cara da culpa, todos aqueles que participaram do golpe institucional que veio destruindo os nossos direitos trabalhistas, previdenciários, privatizando estatais e precarizando os serviços sociais elementares, como saúde e educação - são inimigos da nossa classe. Hoje tentam jogar somente para o negacionista e reacionário Bolsonaro a culpa pela crise da pandemia, mas STF, Judiciário, Congresso e governadores também são culpados por um a cada 400 brasileiros terem morrido até aqui por covid, por 19 milhões de pessoas estarem em situação de insegurança alimentar ou na fome e com o índice de desemprego perto dos 15%.

Veja aqui: Greve geral para derrubar Bolsonaro, Mourão, os ataques e impor uma nova Constituinte.

Nós do MRT lutamos por uma saída independente dos golpistas e da direita tradicional neoliberal, através da construção de uma greve geral para atacar diretamente o lucro dos capitalistas, que são os verdadeiros responsáveis por tudo o que vivemos e atuam por dentro do Estado para garantir que seja às custas do nosso sofrimento. Para isso, fazemos um chamado a todos aqueles partidos e organizações que estão à esquerda do PT, pela construção e articulação de um Comitê Nacional que possa organizar trabalhadoras e trabalhadores, em unidade com a juventude e os setores mais oprimidos, como indígenas, [email protected], mulheres e LGBTQIA+.

Nossa classe precisa confiar em sua própria força e nos seus próprios métodos de organização para derrotarmos Bolsonaro, Mourão e todos os golpistas. Se aliar a direita como PSDB, Joice Hasselmann e Kim Kataguiri, para assinar um pedido de impeachment que deixaria Mourão na presidência, não nos favorece em nada nesta profunda crise sanitária, social e econômica que vivemos. Apesar das mobilizações que acontecem em todo Brasil estarem sendo capitalizadas para uma política eleitoral de fortalecimento para Lula em 2022, a nossa classe vem mostrando sua disposição para lutar contra as reformas, os ataques e a destruição das nossas vidas.

Um Comitê Nacional poderia reunir amplos setores da esquerda em um polo antiburocrático, onde em unidade possamos exigir das centrais sindicais uma frente única pela construção de uma greve geral, golpeando assim com um só punho todo esse regime golpista. Para garantirmos a revogação de todas as reformas e ataques já instalados contra nós, o nosso caminho deve ser o da luta de classes.

Veja aqui: Chamado à esquerda para construir um Comitê Nacional pela Greve Geral.

Ao invés de buscarem saídas em unidade com a direita, o PSOL e seus parlamentares, PSTU, PCB e UP, podem dar exemplo nos lugares onde atuam e organizar grandes assembleias com direito a voz e voto da base, impulsionando a auto-organização da nossa classe. A CSP-Conlutas e as Intersindicais já dirigem centenas de sindicatos e podem fazer essa construção, dando exemplo para todos os outros trabalhadores, fortalecendo a nossa luta e impondo que a CUT e a CTB parem de desviar nossa luta para as eleições, e de fato sejam usadas para colocar a nossa classe em cena. Confiar hoje na direita como a esquerda vem fazendo, dizendo até que partidos como PSDB e MBL seriam bem vindos nas nossas manifestações, é abrir caminho para o fortalecimento dos golpistas, indo pela via oposta do fortalecimento da nossa classe e da construção da unidade entre trabalhadores, juventudes e os setores mais oprimidos por Fora Bolsonaro, Mourão e os golpistas!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias