×
Rede Internacional

RACISMO | Polícia racista e assassina de Belo Horizente mata jovem negro com tiros nas costas

Em uma ação covarde da PM, na comunidade de Aglomerado da Serra um Jovem de 18 anos chamado Ryan da Silva Martins Ribeiro, foi morto de forma brutal com dois tiros nas costas e um na cabeça. O menino chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital.

terça-feira 29 de junho | Edição do dia

Segundo Moradores, o rapaz foi socorrido pela própria viatura ainda com vida, mas não conseguiu sobreviver após o assassinato. O PM que atirou foi preso pela própria PM por pressão da comunidade. Em declaração para o UOL notícias, o Movimento de Mulheres da Quebrada, que representa os moradores do aglomerado declarou em nota através da sua presidente que preferiu não se identificar:

"Viver na favela é lutar pela sobrevivência. Hoje, acordamos mais tristes, mais um jovem negro foi morto no Aglomerado da Serra. Um jovem de 18 anos, cheio de sonhos e de planos, é a nova vítima do Estado e seu braço armado, que sobe as favelas com a intenção de eliminar a população pobre e negra".

A família de Ryan preferiu não se pronunciar sobre o caso pois se encontra abalada mas diz que irá lutar por justiça.

Enquanto isso a polícia conta uma versão totalmente distorcida do acontecimento, dizendo que começaram uma abordagem contra 5 jovens, e quando acharam drogas e rádios comunicadores, eles começaram a correr, e num ato de resistência Ryan tentou pegar a arma de um policial e por conta disso o policial se sentiu ameaçado e disparou 3 vezes pelas costas de Ryan. Uma versão totalmente nojenta e repudiável que mostra como a polícia militar é uma instituição podre e precisa acabar. Além disso não foi divulgada a identidade do assassino, e a polícia civil se negou a revelar se o policial ainda continua preso, ou já foi liberado por alegar que não tem competência para divulgar dados sobre a PM.

A morte de Ryan é um retrato do racismo propagado pelo governo de Bolsonaro e Mourão, que fortalece todos os dias a impunidade contra militares, os dando carta branca para matar a juventude preta e pobre, e reprimir trabalhadores que não aceitem todos os seus ataques aos nossos direitos. O Esquerda Diário cerca de solidariedade a família de Ryan, e repudia as ações racista da PM, e pede justiça para Ryan através de uma investigação independente que não seja realizada pela polícia, uma vez que não faz sentido algum a polícia matar e ela mesmo investigar o caso. Ryan Presente!

Fonte: Uol notícias




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias