Sociedade

JOÃO DORIA

Polícia de Dória impede carreata de professores da rede estadual

Na última quarta-feira, 29, a Polícia Militar de João Doria escancarou mais uma vez seu caráter repressivo ao impedir de forma truculenta a carreata de professores da rede estadual paulista contra o plano de volta as aulas de Dória.

sexta-feira 31 de julho| Edição do dia

A polícia de Dória há tempos demonstra simpatia pelos minúsculos e antidemocráticos protestos da extrema direita na paulista e em outros pontos de São Paulo. Mas seu reacionarismo ficou ainda mais evidente nesta quarta-feira dia 29 de julho ao impedir, como de costume de forma truculenta, a carreata e protesto de professores da rede estadual paulista contra o plano de volta as aulas de Dória.

O ato de nome “carreata pela vida” foi impedido de chegar ao seu destino pelo Batalhão de Ações Especiais. Em um momento em que 35 mil professores se encontram sem salário, que os números sobre a pandemia no Estado evidenciam que a gravidade da crise sanitária ainda é crescente, o plano de retorno as aulas de Dória é um descalabro que só responde aos interesses dos grandes empresários. Os professores em protesto denunciaram que as alterações das regras do Plano São Paulo do comitê de combate ao Coronavírus possuíam como uma das intenções forçar artificialmente a volta às aulas, o que colocaria em risco professores, trabalhadores da escola, alunos e a comunidade.

Não era de se esperar menos da polícia que em meio a crise sanitária matou 10% a mais de acordo com os registros oficiais. Como nós do Esquerda Diário denunciamos frequentemente, a polícia é uma instituição racista que existe para defender a propriedade privada e os privilégios dos ricos. Sua postura seletiva que confraterniza com atos da extrema-direita e reprime ações de trabalhadores mostra nada mais do que seu caráter de classe. Nossa luta contra o negacionismo reacionário de Bolsonaro e Mourão, também é contra a hipocrisia de Dória e contra a polícia!




Tópicos relacionados

Estado Policial   /    Professores São Paulo   /    João Doria   /    Sociedade   /    Professores

Comentários

Comentar