Mundo Operário

FORTE GREVE DURA 7 DIAS

Petrobrás tenta criminalizar grevistas da PBIO e recorre ao TST

A greve dos petroleiros da Petrobras Biocombustível está forte e chega hoje no seu sétimo dia. Ao invés de negociar com o movimento, a gestão da empresa entrou no Tribunal Superior do Trabalho hoje, quarta-feira (26), para tentar criminalizar os grevistas.

quarta-feira 26 de maio| Edição do dia

Foto: FUP

Após a empresa fazer o pedido, o TST está obrigando a volta ao trabalho de 70% dos trabalhadores das usinas de Candeias, na Bahia, e de Montes Claros, em Minas. Caso o movimento descumpra essa ordem, o sindicato estará sujeito a multa diária de R$ 250 mil. Trata-se de um evidente caso de desrespeito ao direito de greve dos trabalhadores. Segundo a FUP, os sindicatos ligados à Federação vão recorrer.

- Veja mais: Petroleiros da PBIO se manifestam no Rio contra privatização na sede da Petrobras hoje, quarta-feira

A justificativa a empresa para exigir a obrigatoriedade da volta de pelo menos 70% dos trabalhadores é que a greve poderia "afetar o abastecimento de diesel para a região Nordeste do país". Mas a justificativa entra em choque com a própria política da empresa de reduzir em muito a capacidade operacional instalada em ambas as usinas. A subisidiária, hoje, por exemplo, abastece menos de 4% do mercado nacional.

Além da intransigência da empresa, essa nova movimentação mostra como a justiça está do lado daqueles que estão descarregando a crise nas costas dos trabalhadores.

É preciso unir toda a categoria petroleira em luta contra a privatização da PBIO, mas também contra todas as privatizações que estão ocorrendo na empresa. Além disso é fundamental batalhar pela unificação com outras categorias em luta, romper com a paralisia das centrais sindicais e lutarmos para que os Petroleiros também façam parte da manifestação que ocorrerá dia 29 em diversas cidades do país contra Bolsonaro.




Tópicos relacionados

Petroleiros   /    Classe Trabalhadora   /    Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Greve dos Petroleiros   /    Crise da Petrobrás   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar