JUSTIÇA MACHISTA PROTEGE EMPRESÁRIO

Petição em apoio à Mari Ferrer ultrapassou 2,5 milhões de assinaturas

O caso do estupro de Mariana Ferrer pelo empresário André de Camargo Aranha está tendo grande repercussão devido a escandalosa sentença de “estupro culposo” (supostamente sem intenção), que foi dada pelo juiz para livrar o acusado de qualquer punição, e pela divulgação de humilhações e violência machista contra a vítima durante o julgamento. A petição pede justiça por Mari Ferrer frente a essa arbitrariedade da justiça machista que protege grandes empresários.

terça-feira 3 de novembro| Edição do dia

O caso de Mariana Ferrer se tornou conhecido nacionalmente quando, em setembro, o empresário André de Camargo Aranha foi inocentado da acusação. As redes foram tomadas pela hashtag #justicapormaribferrer em protesto contra a decisão.

Mariana era virgem, e foi drogada pelo empresário para que o crime fosse cometido. Agora, o caso vem à tona novamente quando se toma conhecimento público da sentença proferida pelo juiz de “estupro culposo”. Apesar de não estar prevista no código penal brasileiro, a invenção do juiz afirma que o empresário não teria intenção de estuprar a vítima, pois, de acordo com o magistrado e a defesa, não tinha como saber que ela não teria consentido com o ato. Assim, o empresário foi inocentado.

A petição pode ser vista e assinada aqui: Justiça por Mariana Ferrer

Leia mais: A sentença de estupro culposo de Mari Ferrer é a cara do judiciário machista, diz Diana Assunção

Com apresentação de Diana Assunção, do Pão e Rosas, conheça o podcast Feminismo e Marxismo sobre a luta das mulheres contra a opressão e a exploração, desde o resgate histórico de grandes eventos e suas protagonistas até as perspectivas da luta feminista junto a classe trabalhadora nos dias de hoje.




Tópicos relacionados

Justiça dos ricos   /    Caso Mari Ferrer   /    Estupro   /    Poder Judiciário   /    Violência contra a Mulher

Comentários

Comentar