×

ED RODOVIÁRIOS | Pela unidade de rodoviários e população contra Melo, os empresários e seus ataques

Enquanto alegam prejuízo, Melo e os empresários do transporte tentam privatizar a Carris, aumentam a passagem, querem atacar as isenções e acabar com os cobradores, tudo para garantir os lucros dos capitalistas. Entre 2020 e 2021 Marchezan e Melo despejaram R$55 milhões nos cofres das empresas privadas. Por isso é necessário a unidade entre os rodoviários que tocam o sistema diariamente com o conjunto da população que utiliza o transporte, contra Melo e os empresários do transporte.

terça-feira 6 de julho | Edição do dia

Melo aumentou a passagem para R$4,80 com um discurso demagógico de que não aceitaria o valor exigido pelos empresários do transporte e EPTC (R$5,20). Para isso, prometeu a privatização da Carris, fim dos cobradores, cortar isenções, mais isenção de impostos e despejar milhões nos cofres dos patrões, gerando ainda mais desemprego e precarizando o transporte. Agora, a patronal da Trevo e Tinga anuncia o parcelamento do salário dos rodoviários, assim como a Carris depois do corte do repasse mensal por parte de Melo. Os rodoviários estiveram na linha de frente da pandemia, muitos adoeceram, outros morreram e agora querem despejar a crise em suas costas. Inaceitável!

A patronal alega não ter verba para cobrir todas as despesas, como salário e manutenção, com a passagem por R$4,80. Aplicaram as MPs do reacionário Bolsonaro para suspender contrato, cortar benefícios e demitir; deixaram recentemente de circular mais de 30 linhas por "falta de combustível" (diesel), jogando-as novamente para a Carris. Após todo esse absurdo, apelaram novamente para cortar do bolso do peão, parcelando os salários. A patronal, assim como Melo, quer jogar os rodoviários contra a população! Alegam que para pagar o salário em dia precisa arrancar ainda mais do bolso dos usuários do transporte. Não podemos aceitar essa chantagem. Se não têm dinheiro então que abram seus livros de conta e provem!

Enquanto alegam prejuízo, Melo e os empresários do transporte tentam privatizar a Carris, aumentam a passagem, querem atacar as isenções e acabar com os cobradores, tudo para garantir os lucros dos capitalistas. Entre 2020 e 2021 Marchezan e Melo despejaram R$55 milhões nos cofres das empresas privadas. Por isso é necessário a unidade entre os rodoviários que tocam o sistema diariamente com o conjunto da população que utiliza o transporte, contra Melo e os empresários do transporte.

Por tudo isso é necessário lutar de forma unitária contra o parcelamento de salários, a privatização da Carris, o fim dos cobradores e todos os ataques à categoria e à população. Para isso é necessário exigir do sindicato que convoque uma assembleia da categoria com liberação de ponto em todos os turnos, para que sejam os rodoviários que decidam sobre o rumo de sua própria luta.

Em defesa de um sistema que seja 100% estatal, 100% Carris, e sob controle dos rodoviários e usuários que sabem melhor do que ninguém como tocar o sistema de transporte público. Inclusive, a estatização total do transporte tende a diminuir a tarifa, pois parte significativa dela está em função dos lucros e não da manutenção do transporte. Se está mal para os empresários, que saiam! E que os trabalhadores e usuários controlem tudo!

Veja também:




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias