×

Direita conservadora | Pastor Granconato defende que moradores de rua tem que passar fome

Marcos Granconato, da Igreja Batista Redenção, defende uma passagem bíblica, em um país profundamente afetado pela crise e com altas taxas de desemprego, que diz que quem não trabalha também não deve comer

quinta-feira 5 de maio | Edição do dia

Imagem: Reprodução/Facebook

O pastor Marcos Granconato, da Igreja Batista Redenção, de São Paulo, fez uma publicação odiosa em seu Facebook nesta segunda-feira (2). Disse: "a maioria dos mendigos tem o dever bíblico de passar fome" e reforçou o conteúdo nos comentários dizendo que as pessoas que estão em situação de rua seriam "vagabundos". A postagem causou repúdio nas redes sociais.

"A maioria dos mendigos têm o dever bíblico de passar fome, pois Paulo diz ao Tessalonicenses: ’Se alguém não trabalha que também não coma’’, escreveu na publicação.

No Brasil de Bolsonaro, onde inúmeros ataques e reformas estão sendo passados contra a população pelo governo federal e com apoio de todas as instituições no país, para beneficiar o lucro dos patrões, quem mais sofre com a crise são os trabalhadores, os pobres e os setores mais oprimidos.

As altas taxas de desemprego e pesquisas que apontam um cenário futuro difícil para o país se unem ao número de trabalhadores informais, que exercem suas funções sem garantias trabalhistas, e ao forte aumento da inflação, que hoje leva a renda do brasileiro a um patamar de dez anos atrás, e explicitam a difícil situação que estamos submetidos. Tudo isso contribui para que a pobreza atinja ainda mais brasileiros, o que aumenta o número de pessoas em situação de rua. Somente na capital paulista, a população de rua aumentou 31% nos últimos dois anos, período de profunda crise sanitária e econômica.

Falas como a do pastor Marcos Granconato merecem todo o nosso repúdio, pois expressam o que há de mais elitista e conservador na nossa sociedade, com a defesa de que sejam os mais pobres a pagar pela crise. Somente a força da luta dos trabalhadores e dos setores mais oprimidos e afetados pela crise podem verdadeiramente lutar contra todos os ataques e fazer com que figuras como Granconato não tenham espaço para defender absurdos como esse.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias