×

Bilhete único universitário | Paes promete e não cumpre: Só a luta do estudantes pode garantir o bilhete único

Na campanha eleitoral para a prefeitura do Rio de Janeiro Eduardo Paes afirmou em vídeo público em suas redes sociais que liberaria o bilhete único universitário, após oito meses na prefeitura o bilhete único universitário segue bloqueado. Isso prova que só a força da nossa mobilização será capaz de conquistar de fato esse direito mínimo e imediato.

quinta-feira 26 de agosto | Edição do dia

No fim de 2019, durante a gestão do prefeito Marcelo Crivella, a Secretaria Municipal de Transportes editou a Resolução 3.204 alterando os critérios de benefício ao bilhete único universitário. A Resolução 3.204 gerou a exclusão de vários jovens que necessitavam do beneficio, muitos alunos tiveram seu bilhete único universitário bloqueado por não se “encaixar” mais nas novas normas para obter o bilhete único universitário.

Após a chegada da pandemia, o bilhete único de todos os estudantes foi bloqueado com a justificativa de defesa do isolamento social. No entanto, os transportes públicos seguem lotados e de forma demagógica usaram da pandemia para bloquear o bilhete único de todos os jovens enquanto milhões de trabalhadores foram obrigados a trabalhar expostos ao vírus. Neste segundo ano de pandemia seguimos com um plano de vacinação lento e insuficiente para o conjunto da população. De fato as universidades seguem com ensino à distância, mas os jovens que são trabalhadores e estagiários estão trabalhando normalmente, só que agora estão pagando do seu próprio bolso algo que a prefeitura do Rio de Janeiro é obrigada a garantir.

Eduardo Paes tenta se colocar como se fosse um gestor "racional" que está tomando medidas contra a pandemia da Covid-19. Mas o retrato do transporte público lotado é uma demonstração cabal que suas medidas não passam de uma farsa tosca e mal feita, que não combate a covid-19 justamente porque permite a infecção de milhares de trabalhadores no transporte público lotado. O Instituto Rio21 fez um levantamento sobre os meses de gestão do atual prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes e no tema referente a transportes a prefeitura de Eduardo Paes teve a pior avaliação das categorias apresentadas da pesquisa, reprovada (ruim + péssimo) por 52,8% da população.

De forma oportunista Eduardo Paes se utilizou do bloqueou do bilhete único universitário para fazer campanha e buscar apoio dos jovens nas eleições á prefeito no Rio de Janeiro, segundo o prefeito, no seu mandato com certeza seria liberado o bilhete único universitário, no entanto, essa promessa só ficou no discurso porque a prefeitura segue com o bilhete único universitário bloqueado. Isso na prática favorece apenas as grandes empresas privadas dos transportes públicos que lucram bilhões com a super lotação dos trabalhadores nos transportes públicos.

Oficialmente as universidades públicas permanecem fechadas, porém, algumas universidades particulares estão abrindo parcialmente e em alguns casos obrigando alunos a comparecem em salas de aulas, além disso, os estudantes pesquisadores e estagiários fazem trabalhos em campos e muitos deles estão trabalhando normalmente sendo expostos ao vírus nos transportes públicos lotados. Diante do nível de desemprego, fome e miséria os estudantes tiram do dinheiro da alimentação e do aluguel para pagar as passagens caríssimas de ônibus e são obrigados a lidar com ônibus super lotados e em condições precárias de uso.

A entidade estudantil da União nacional dos estudantes, a UNE, que atualmente as correntes de esquerda que estão presentes na direção dessa entidade são o PT, PcdoB e o coletivo Levante, fazem propagandas nas redes sociais pela liberação do bilhete único universitário, porém, até os dias de hoje nunca fizeram um grande chamado ou construíram grandes mobilizações estudantis pela liberação do bilhete único. Ao contrário, eles por eles que decidem quando e como serão os atos e as manifestações, os estudantes só ficam sabendo depois que eles postam as fotos nas redes sociais, sem fazer nenhum grande chamado de luta e organização aos estudantes pelo nosso direito ao bilhete único universitário. Depois de postado as fotos nas redes, não fica nada claro quais serão os próximos passos por uma luta de faro efetiva pela liberação imediata do bilhete único. Enquanto isso as direções da UNE e da UEE, União Estadual dos estudantes seguem confiando na institucionalidade e na administração pública da prefeitura do Rio de Janeiro, como se isso fosse garantir algo de fato ao conjunto dos estudantes. É evidente que Eduardo Paes está a serviço dos interesses privados das grandes empresas de ônibus, que nessa pandemia buscam se beneficiar com o bloqueio do B.U para aumentar seus lucros com as passagens.

Correntes de esquerda interna no PSOL, nas eleições a prefeito declarou voto a favor do Eduardo Paes com a justificativa de mal menor, como se mal menor fosse algum tipo de alternativa para os trabalhadores e o conjunto dos jovens. A adaptação da esquerda a política do Eduardo Paes faz pesar nas costas dos trabalhadores e da juventude, pois são os únicos afetados pela crise econômica e sanitária. Diante disso, as correntes de esquerda no movimento estudantil enquanto seguirem com essa política de mobilização só para constar nas redes sociais, o bilhete único universitário continuará bloqueado e quem vai pagar caro por isso serão os estudantes negros e pobres.

Para fortalecer uma real mobilização é preciso construir espaços de debates e deliberações políticas para uma luta efetiva dos estudantes por essa demanda miníma e imediata. Nós da juventude faísca fazemos um grande chamado as correntes de esquerda por uma mobilização ativa e construída na base dos cursos em cada universidade, só força da mobilização estudantil pode impor a liberação do bilhete único universitário.

LEIA MAIS: https://www.esquerdadiario.com.br/Liberacao-imediata-do-passe-livre-universitario-aos-estudantes-jovens-trabalhadores




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias