DESIGUALDADE

Os negros são os que mais morrem por covid-19 e menos tem acesso à vacinação no Brasil

Enquanto 55% de negros morreram em decorrência da covid-19, a proporção entre brancos foi de 38%, segundo dados do Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (NOIS)-PUC Rio.

quarta-feira 21 de abril| Edição do dia

Edmar Barros/AP photo/ picture alliance

A população negra é a que mais sofre com a pandemia do COVID-19, segundo pesquisa do Instituto Polis a taxa de óbitos por covid-19 entre negros na capital paulista foi de 172/100 mil habitantes, enquanto para brancos foi de 115 óbitos/100 mil habitantes. No ano passado (2020) essa proporção era de 250 óbitos pela doença a cada 100 mil habitantes e 157 mortes a cada 100 mil entre os brancos.

Sobre o assunto: As mortes de negros pela Covid-19 crescem 28%, precisamos nos organizar

A desigualdade à saúde também se reflete na vacinação. Segundo uma pesquisa, de março desse ano feita pela Agência Pública, a discrepância entre brancos e negros vacinados é demonstrada pela proporção de: 3,2 milhões de pessoas que se declararam brancas receberam a primeira dose do imunizante contra o novo coronavírus. Já entre os negros, esse número cai para 1,7 milhão. Esse cenário se repete em outros lugares do mundo. Nos Estados Unidos, os bairros negros, segregados historicamente até hoje, foram menos testados, mas, ao mesmo tempo, apresentaram mais resultados positivos para a covid-19.

Pode interessar: Minneapolis (EUA) tem manifestação e confronto após a polícia matar um jovem negro




Tópicos relacionados

Vacina contra a covid-19   /    Vacina   /    Brasil   /    Desigualdade   /    Vacinação   /    Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    Racismo   /    [email protected]

Comentários

Comentar