×

Privatização da Carris | O 7 de setembro em Porto Alegre precisa ser um grito em apoio à greve dos rodoviários e contra Bolsonaro

sexta-feira 3 de setembro | Edição do dia

No próximo dia 07 de setembro, Bolsonaro e sua corja saudosistas da ditadura militar, estão convocando atos pelo o país, levantando seus discursos golpistas frente a perca cada vez maior de sua popularidade. Isso tudo em meio à crise econômica aprofundada pela pandemia onde a fome passa a ser uma realidade mais constante na vida da população. Neste mesmo dia, as organizações de esquerda e os movimentos sociais estão chamando atos pelo Fora Bolsonaro em várias cidades. Aqui em Porto Alegre, o dia 07 de setembro tem que ser transformado em um grande dia de luta e apoio à mobilização dos rodoviários de Porto Alegre, ligando a luta nacional contra Bolsonaro e o regime golpista com a greve em curso.

A unidade que precisamos para barrar os ataques em curso é a unidade da classe trabalhadora com a maioria da população, não com a direita. Por isso esse 7 de setembro precisa ser um grande grito em torno das lutas em curso, para fortalecê-las e apontar um caminho da vitória.

Como viemos repercutindo no Esquerda Diário, os rodoviários da Carris começaram a se mobilizar contra a privatização que Melo quer impor, que pode ser votada a qualquer momento na Câmara, e o nefasto fim dos cobradores. Após um dia de greve parcial, os rodoviários votaram por parar 100% da frota nessa sexta-feira por tempo indeterminado.

Novamente os rodoviários estão neste momento cruzando os braços em frente à garagem, chamando os seus colegas a se somarem na luta pela preservação de seus empregos. Estudantes, trabalhadores de outras categorias, e a população estão junto com os rodoviários apoiando a luta e se solidarizando com essa luta. Os trabalhadores mostram qual é o verdadeiro caminho para enfrentar os ataques que os capitalistas querem descarregar nas costas dos trabalhadores, que é através da luta. Um verdadeiro exemplo para todas as demais categorias que seguem sofrendo com os ataques que vêm sendo aplicados no estado e no país, como a luta contra a privatização da Corsan. Ou mesmo a privatização dos Correios que foi aprovada na Câmara dos Deputados com convergência de toda a burocracia sindical que não organizou a luta e a mobilização dos trabalhadores.

As privatizações e os ataques que estão sendo aplicados fazem parte do mesmo projeto que Bolsonaro, o STF, Congresso, governadores e prefeitos têm, que é descarregar todos os efeitos da crise nas costas dos trabalhadores, e assim garantir com que os capitalistas sigam lucrando enquanto milhões passam fome. São ataques muito duros que estão sendo aplicados contra os trabalhadores e devemos nos mobilizar massivamente para barrá-los. Não podemos confiar que através da Justiça ou do parlamento iremos barrar os ataques que os capitalistas querem impor. Confiar em fazer acordos com a direita para não votar nos ataques é uma cilada. Os vereadores do PT, PCdoB e PSOL, fizeram acordo com os vereadores da direita para não colocarem em votação a PL da extinção dos cobradores, mas como já sabemos, a direita quis saber e colocou para votar e aprovaram o projeto, enquanto os parlamentares ficaram a ver navios.

Temos que nos apoiar na disposição de luta dos rodoviários como sendo a verdadeira estratégia para barrar os ataques. A privatização da Carris deve ser uma causa popular, pois ela é responsável de boa parte do transporte público da capital gaúcha, que foi durante a pandemia que assumiu as linhas de ônibus que foram abandonadas pelas privadas que queriam salvar seus lucros. A Carris tem o serviço com mais qualidade da cidade, e sua privatização resultará na precarização dessa qualidade, além das demissões dos trabalhadores. Se Melo aprovar a privatização ele seguirá com o restante do seu plano de ataques, como o fim das isenções de passagens para estudantes, idosos e portadores de doenças, e isso irá ser um ataque para uma boa parte dos usuários que já sofrem hoje com ônibus lotado e tempo de espera nas paradas de ônibus com os cortes de linha que vem ocorrendo desde o início da pandemia.

Veja aqui: A greve dos rodoviários precisa virar uma grande causa popular de toda Porto Alegre

Por isso nós do Esquerda Diário colocamos que nesse próximo dia 07 de setembro em Porto Alegre, seja um dia de grito em apoio à luta dos rodoviários contra Bolsonaro, que é também responsável por toda essa miséria que está sendo imposta. Essa é a unidade que precisamos, a unidade da classe trabalhadora contra todos os que nos atacam, não com a direita como Lula está costurando e o PT vem fazendo há anos. Que todos os sindicatos da cidade e do estado, como o Simpa, Sindisaúde, e CPERS se solidarizam e movam ações para impulsionar essa luta, uma campanha pelo o fundo de greve seria bastante essencial neste momento que Melo segue atacando o direito de greve dos rodoviários e cortando o ponto. Chamamos todas as entidades estudantis, como a UNE, DCE, DAs e CAs a organizarem os estudantes a se somarem e a repercutir todo o apoio à luta dos trabalhadores no ato do dia 07. Lutar também pela estatização de todo o transporte público de Porto Alegre e ser 100% Carris, sob comando dos trabalhadores e usuários, contratando todos os rodoviários das privadas demitidos e lutar pela não extinção dos cobradores.

Veja também o Editorial MRT | 7 de setembro: enfrentar Bolsonaro, os ataques e a medida ditatorial de Doria nas ruas




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias