Economia

DESEMPREGO

Novo recorde: mais de 20 milhões de trabalhadores estão sem emprego

Juntando desempregados e aqueles que não procuraram emprego nos últimos 30 dias, Brasil chega a novo recorde de mais de 20 milhões de trabalhadores sem emprego, em meio a intensa crise econômica e sanitária.

sexta-feira 30 de abril| Edição do dia

Foto: Roberto Parizotti/FotosPublicas

Em 1 ano, a população em busca de um trabalho aumentou em 2,1 milhões de pessoas. O desalento também atinge patamar recorde, reunindo 6 milhões de brasileiros que desistiram de procurar uma ocupação no mercado de trabalho.

Pode te interessar: Por um 1º de Maio Classista e Independente, que unifique e coordene os focos de resistência pelo país!

O desemprego atingiu 14,4 milhões, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), divulgados nesta sexta-feira (30). O desalento, que são aqueles trabalhadores que desistiram de procurar trabalho, também atingiu patamar recorde, chegando a 6 milhões de brasileiros.

"O resultado representa uma alta de 2,9%, ou de mais 400 mil pessoas desocupadas frente ao trimestre anterior (setembro a novembro de 2020)", aponta o IBGE.

A categoria de desalento é reconhecida por sindicatos como uma forma do Estado maquiar os níveis de desocupação da população trabalhadora, que na pandemia enfrenta o vírus, a fome e as taxas de desemprego que não param de crescer.

Separando a divisão artificial entre desemprego e desalento, ao todo mais de 20 milhões de trabalhadores estão sem trabalho. Em 1 ano, ocorreu um aumento de 16,9%, ou seja, 2,1 milhões de trabalhadores na procura por emprego.

O IBGE considera como desempregado apenas aqueles trabalhadores que saíram em busca de emprego nos últimos 30 dias antes da pesquisa.

Veja também: Leilão da Cedae ocorre hoje para piorar serviço e enriquecer empresários




Tópicos relacionados

IBGE   /    Empregos   /    Desemprego   /    Economia   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar