Nota do SINTUSP em solidariedade às trabalhadoras terceirizadas do hospital da USP

O Sintusp, Sindicato dos Trabalhadores da USP, publicou em suas redes hoje uma nota de solidariedade às trabalhadoras terceirizadas do Hospital Universitário da USP. As trabalhadoras realizaram ontem uma ação diante da informação fornecida pelo aplicativo do INSS de que não constava o pagamento da contribuição das trabalhadoras.

terça-feira 1º de dezembro de 2020| Edição do dia

As trabalhadoras expressavam revolta com a possibilidade de haverem contribuído por meses e isso não constar na base de dados do INSS. Além disso, as condições de trabalho precárias a que são submetidas e que durante a pandemia se agravaram foi o combustível para que a indignação aflorasse.

Reproduzimos abaixo a nota publicada pelo Sintusp.

TODO APOIO À LUTA DAS TRABALHADORAS TERCEIRIZADAS DO H.U. DA USP!

Nesta segunda-feira, 30/11, as trabalhadoras terceirizadas da limpeza no Hospital Universitário da USP realizaram uma mobilização diante da verificação no aplicativo do INSS, de que muitas tinham o extrato do INSS zerado. Havia também a informação que algumas trabalhadoras não conseguiram benefício quando requerido no INSS, cuja causa não estava nítida.

Diante da mobilização das trabalhadoras, os responsáveis do HU pela gestão do contrato da terceirizada da limpeza esclareceram a uma comissão das trabalhadoras que o depósito no INSS foi feito, e apresentaram comprovantes da Receita Federal.
Diante disso, as trabalhadoras exigiram um compromisso de não perseguição por conta da mobilização (que foi assinado pelas supervisoras do contrato no hospital, representando a empresa), e também, em um prazo de 24h, a verificação pelo próprio hospital do porque os depósitos não constavam às trabalhadoras.
Uma nova reunião entre as trabalhadoras terceirizadas está agendada para esta quarta-feira, na qual avaliarão as novas informações sobre o problema.

O Sintusp se solidariza totalmente com as trabalhadoras, e estamos acompanhando a situação, dentro do princípio de solidariedade de classe.

Também nos colocamos integralmente ao lado das trabalhadoras contra qualquer punição ou retaliação pelo H.U., ou pela empresa terceirizada, por conta da sua legítima mobilização.

As trabalhadoras terceirizadas são as mais exploradas e oprimidas da universidade, e especialmente nos hospitais estão na linha de frente do combate à pandemia garantindo a higienização dos equipamentos de saúde, inclusive com alto índice de contaminação e adoecimento entre elas. Nesse sentido é ainda mais importante a luta dessas trabalhadoras, bem como toda a solidariedade possível!

O Esquerda Diário acompanhou toda a movimentação desde a semana passada e se coloca a serviço das trabalhadoras terceirizadas em luta.

Pela efetivação de todos os terceirizados sem concurso!




Tópicos relacionados

Trabalhadores Terceirizados   /    Hospital Universitário da USP   /    SINTUSP   /    efetivação terceirizados sem concurso   /    Terceirização   /    USP

Comentários

Comentar