×
Rede Internacional

29M | No dia 29 faremos ecoar nas ruas nossa solidariedade à Palestina

Neste sábado, dia 29 de maio, ocorrerão diversos atos no país contra os cortes da educação e contra Bolsonaro, que vem legitimando o genocídio de Israel ao povo Palestino. Por isso, também é fundamental que neste dia também ecoe nossa solidariedade à Palestina.

sexta-feira 28 de maio | Edição do dia

Amanhã, dia 29/05, será um dia de luta nacional contra os cortes e ataques à educação, como os do orçamento em universidades e institutos federais que podem encerrar suas atividades ainda este ano nessa situação e também de enfrentamento a Bolsonaro, Mourão e todo este regime marcado pela retirada de direitos, assim como pelo sucateamento da educação em nome do lucro dos empresários. Mas também será um dia para a juventude que sai as ruas possa ecoar nossa solidariedade ao povo palestino que segue em luta frente a opressão imperialista de Israel.

Em meio a uma crise sanitária, onde chegamos a ter 454 mil mortes por covid-19 e a ataques destinados a juventude, como a taxa de desemprego recorde batida neste ano, e os próprios cortes nas federais, nos deparamos também figuras racistas como Bolsonaro e Mourão, sendo Bolsonaro, um capacho direto do imperialismo estadunidense e do Estado ilegítimo de Israel, justificando toda a barbárie crescente que vem sendo lançada ao povo palestino pela via de ações militares, resultando em centenas de mortes nas últimas semanas.

Leia Também: Bolsonaro, aliado de Israel, é cúmplice dos bombardeios terroristas contra o povo palestino

Trata-se de um processo de décadas de expansão colonialista e imperialista por parte de Israel em Território palestino, com o apoio histórico dos Estados Unidos e, atualmente do próprio Bolsonaro, sendo que nas últimas semanas, houve uma ofensiva de bombardeiros por parte de Israel, atingindo diversos lugares da Palestina, resultando inclusive em mortes de dezenas crianças. Em meio a isso, o povo palestino, com a juventude na linha de frente organizou uma greve histórica no último dia 18, algo que não acontece desde 1936, denunciando essa situação.

Tal absurdo também vem provocando uma onde de protestos a nível internacional, inclusive em países onde as manifestações em solidariedade aos palestinos foram proibidas, como na França, mas que não foi o suficiente para conter toda a indignação da juventude e dos trabalhadores franceses que se organizaram em atos massivos de solidariedade mesmo nesta situação, ou mesmo nos Estados Unidos, onde a população que passou por um processo de questionamento do racismo profundo como "Black Lives Matter", também saiu as ruas para denunciar o massacre na Palestina. Sair as ruas no dia 29 se embandeirando desta causa significa nos somarmos com os milhares que vem se mobilizando na Palestina, na França, nos Estados Unidos e demais países.

Saiba Mais:Entrevista com Moisés García: "Há uma nova geração palestina pronta para responder a Israel e seus aliados"

Essa submissão à agenda imperialista por parte de Bolsonaro também se expressa diretamente em ataques e políticas reacionárias contra os trabalhadores, os setores oprimidos e também contra a juventude no país. Por isso, se enfrentar contra Bolsonaro, assim como de Mourão, militares e demais setores deste regime também passa por lutar contra massacre promovido por Israel contra a Palestina, promovendo toda nossa solidariedade ao povo palestino neste dia 29.

De tal forma que enfrentamos o racismo, o machismo, a LGBTfobia e a opressão de todos os povos oprimidos, que se expressam diariamente pelas vias mais violentas, também levantamos a necessidade de unir todos estes setores, com a juventude e a classe trabalhadora para golpearmos com um só punho nossos mesmos algozes. Essa unidade seria fundamental para não só barrarmos os cortes, mas também superar toda essa situação de conjunto. Por isso é fundamental que a UNE e as centrais sindicais como a CUT e CTB, dirigidas pelo PT e PCdoB, unifiquem as pautas do dia 29, fortalecendo ainda mais esta mobilização.

Desde a Juventude Faísca, nos embandeirarmos com os exemplos de luta internacionais como na Colômbia, Espanha, Chile, no levante negro nos Estados Unidos e na resistência do povo palestino, para enfrentarmos Bolsonaro, Mourão e os militares e chamamos a todos para ecoarem essas lutas e nossa solidariedade neste dia 29.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias