Gênero e sexualidade

Mulheres nas Filipinas, na Índia e na Tailândia aderem à paralisação internacional #8M

quarta-feira 8 de março de 2017| Edição do dia

Milhares de mulheres na Tailândia, nas Filipinas e na Índia participam da paralisação internacional de mulheres neste #8M, de acordo com o Asia Pacific Forum on Women Law and Development (APWLD).

A diretora do APWLD, Kate Lappin, disse que:

"Esta ação é parte de esforços crescentes para incrementar a força da paralisação internacional de mulheres, na medida em que achamos que a solidariedade é o único antídoto ao crescente autoritarismo, ao aprofundamento das desigualdades, aos problemas climáticos e aos líderes machistas que o mundo vem presenciando".

Nas Filipinas, o ascenso de Rodrigo Duterte, populista de direita que dissemina a idéia da submissão das mulheres como código de conduta, foi uma das bases dos protestos no país. Edna Velarde da Federação Nacional de Mulheres Camponesas das Filipinas disse que:

"As mulheres camponesas se unificaram hoje na paralisação internacional para exigir que Duterte reverta suas medidas neoliberais".

Elizabeth Khumallambam, da Nari Shakti Manch, na Índia, disse que:

"As mulheres trabalhadoras nos setores sem organização continuam a deparar-se com discriminação - salários desiguais, assédio sexual nos locais de trabalho, ausência completa dos direitos de gestação das mães. Queremos vocalizar nossa raiva contra essa supressão de direitos".

Com informações do The Guardian




Tópicos relacionados

Mulheres   /    mulheres negras   /    Especial 8 de março   /    Mulher   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar