×

Crise da Covid | Mortes de idosos vacinados com as duas doses dobra no Rio. Castro e Paes são os culpados!

O governador Cláudio Castro e o prefeito Eduardo Paes são os grandes responsáveis pelo aumento de mortes de idosos por Covid-19 na capital do RJ, mesmo já com a segunda dose. Castro e Paes nunca aplicaram medidas efetivas de combate à Covid, e agora mantêm escolas e locais de trabalhos abertos, com meios de transporte lotados de jovens e trabalhadores, que ficam expostos à variante Delta e a outras que surgirem, colocando as suas vidas e de seus familiares em risco.

terça-feira 24 de agosto | Edição do dia

Na foto o Governador do Rio Cláudio Castro(à direita) e o Prefeito do Rio, Eduardo Paes/ Imagem - Philippe Lima

Segundo dados da Secretaria estadual de Saúde (SES), o número de mortes de idosos vacinados com as duas doses não para de subir na capital do Rio de Janeiro. Foram contabilizadas 42 mortes nesse grupo durante a semana epidemiológica 24, que foi de 13 a 19 de junho. Depois que se passaram um mês e meio (semana epidemiológica 30, de 25 a 31 de julho),esse número foi para 83 mortes, sendo uma alta de 97% em relação ao número de mortos da semana epidemiológica 24.

Veja mais: Sem uma política efetiva de combate, novo pico de mortes de idosos no Rio é confirmado

Cientistas da Fiocruz já faziam uma previsão, no início do mês, um aumento drástico de hospitalizações e mortes por Covid-19 no Rio de Janeiro, sobretudo entre idosos, e esses dados acabaram confirmando a previsão feita por meio de projeções. Leonardo Bastos, cientista que foi um dos realizadores das projeções, diz que "Os dados podem se dever a uma conjunção de fatores, entre eles a imunossenescência (perda de imunidade decorrente do envelhecimento) dos mais idosos e a própria variante Delta. O vírus continua encontrando os mais velhos, em quem a vacina, por outro lado, pode não ser mais tão efetiva quanto antes" e que "O Rio é amplamente conectado ao resto do país, então o alerta é para todo o Brasil. Se nada for feito, o que se vê agora no Rio vai acontecer em outros lugares, penalizando sobretudo os mais idosos, que são mais vulneráveis e sentem os efeitos da pandemia antes das demais faixas etárias"

Essa situação se torna ainda mais alarmante devido à variante Delta, que é uma cepa mais contagiosa, que pode levar a uma piora da situação. Leonardo Bastos diz que os números reforçam a necessidade da terceira dose da vacina em idosos, ao mesmo tempo que defende que a imunização não é a única chave para combater uma situação ainda mais trágica do que o país já passou.

Além disso, pela primeira vez desde o fim de abril, pessoas com 60 anos ou mais voltaram a representar mais da metade dos internados por Covid-19 na capital do RJ. Em abril, devido a vacinação, o número de hospitalizações nessa faixa etária começou a entrar numa tendência de queda, e no fim de junho chegou à menor proporção do total de internados em toda a pandemia (31%). Mas em meados de julho isso mudou, e os idosos passaram a representar metade de todas as internações no município. A situação foi se consolidando até que, no início de agosto, pessoas com 60 anos ou mais passaram a corresponder a corresponder a 63% das hospitalizações, sendo a maior proporção desde o fim de janeiro deste ano.

Assim, enquanto o número de internações no município em todas as faixas etárias caiu 16% entre as semanas epidemiológicas 24 (meados de junho) e 31 (início de agosto), a quantidade de hospitalizações do grupo de pessoas com 60 anos ou mais aumentou 42%.

Veja também: Um dia após declarar aumento das internações por Covid, Rio resolve reabrir escolas em 36 cidades

Enquanto Rio é epicentro da Delta, Castro quer aulas presenciais

A culpa dessa situação e de Cláudio Castro e Eduardo Paes, além de outros políticos que governaram o Estado do RJ e suas cidades durante a pandemia, pois nunca levaram adiante uma medida séria de combate à pandemia, atransando a vacinação, mantendo ônibus e metrôs sempre cheios levando a classe trabalhadora para seus trabalhos, submetendo-a ao vírus e à contaminação de familiares, combinada com a não proibição das demissões, os testes massivos, a quebra das patentes sem indenizações, a reconversão da indústria, entre outros elementos básicos e necessários para se combater a pandemia. Para Castro, Paes e demais políticos burgueses cariocas não é a vida dos trabalhadores e dos idosos que importa, mas sim o lucro dos empresários.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias