Sociedade

POLÍCIA ASSASSINA

Moradores contestam versão da PM e afirmam que a polícia iniciou tiroteio e matou Kathlen

Testemunhas afirmam que os policiais estavam escondidos em uma casa e começaram a atirar contra um ponto de venda de drogas, atingindo a jovem.

quarta-feira 9 de junho| Edição do dia

Imagem: Reprodução/Redes Sociais

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Capital, que ouviu cinco policiais militares que participaram da ação. Em nota, a Polícia Militar informou que não havia operação no momento e que os tiros começaram após bandidos atirarem contra agentes da UPP do Lins.

Mas segundo os moradores, os policiais estavam escondidos em uma casa para surpreender traficantes no chamado Beco da 14. A jovem foi atingida exatamente no momento em que os policiais saíram do imóvel disparando em direção a um ponto de venda de drogas.

A mãe da Kathlen afirmou na manhã desta quarta-feira (9), no Instituto Médico-Legal (IML), que o disparo que matou a filha foi feito por um policial militar, segundo relatos de moradores da comunidade.

"Se a minha filha fosse morta por bandido eu não falaria nada com vocês porque eu sei que eu moro em um lugar que eu não poderia falar. Então ficaria na minha. Mas não foi. Foi a polícia que matou a minha filha. Foi a PM que tirou a minha vida, o meu sonho", disse Jaqueline de Oliveira Lopes.




Tópicos relacionados

UPP - Unidade de Polícia Pacificadora    /    Brutalidade policial   /    Racismo Policial   /    Sociedade   /    Violência policial   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar