Sociedade

CRISE HÍDRICA

Ministro fala sobre redução de energia domiciliar, mas empresas são as que mais consomem

A recomendação é reflexo do baixo nível de armazenamento de água nos reservatórios de hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste. De acordo com o governo, esse período de foi o mais seco em 91 anos.

quinta-feira 3 de junho| Edição do dia

Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que está à frente do um grupo do governo federal para pensar a crise energética, defende o incentivo ao consumo de energia fora dos horários de pico para redução do consumo domiciliar, frente a crise hídrica que afeta os reservatórios do país, em especial, no Sudeste e Centro-Oeste.

As recomendações do governo que quer que os consumidores diminuam o consumo de energia mesmo sendo as grandes empresas as maiores consumidoras, vem com novo ajuste da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que informou nesta sexta-feira (28) que vai vigorar no país o patamar 2 da bandeira tarifária, o mais caro do sistema, durante o mês de junho.

Veja também: Reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste tem em maio o menor nível desde 2001




Tópicos relacionados

apagão   /    Bento Albuquerque    /    Crise Energética   /    Governo Bolsonaro   /    Crise Hídrica   /    Sociedade

Comentários

Comentar