Sociedade

VACINAÇÃO

Milhares de doses de vacinas são trocadas e aplicadas indevidamente

Como se já não bastasse as várias questões ligadas à irracionalidade capitalista no que se refere ao plano de vacinação, além de enfrentarmos os efeitos da guerra pelas vacinas que é administrada pelo imperialismo com suas farmacêuticas multinacionais que jogam com nossas vidas, monopolizando as patentes das vacinas e usando nossas vidas para essa especulação brutal e entre tantas outras ações cruéis, agora tem sido denunciado informações referente à troca de vacinas. O número de casos de pessoas que tomaram a primeira dose da vacina de um fabricante e a segunda dose de outro vem crescendo no Brasil.

quarta-feira 28 de abril| Edição do dia

Nesse quadrimestre já chegamos a marca de mais de 16 mil pessoas que tomaram vacinas contra covid-19 trocadas no Brasil, segundo o DataSUS, sistema de informações do Ministério da Saúde, há registros de primeira dose da vacina Coronavac e a segunda dose da AstraZeneca ou vice-versa.

Há troca de fabricantes entre as doses da vacina em 1.645 cidades brasileiras, que totalizam quase um terço do total de municípios do país. Na grande São Paulo, o município de Santo André lidera o ranking nacional com 2.747 casos. A maior parte das ocorrências (2.739) aconteceram em um único posto de vacinação.

Mas a troca também ocorreu em outros municípios do ABC paulista, como é o caso de Mauá e Diadema. Além da troca de vacina contra o Coronavírus, também há casos em que as pessoas deveriam receber a vacina contra a Influenza e receberam dose contra o Coronavírus, inclusive crianças. Embora alguns prefeitos tenham se pronunciado a respeito justificando que foi um erro no registro das informações no sistema e que não houve troca de vacinas, e outros que seguiram o posicionamento de alguns médicos pneumologistas que declaram não ver problema no ocorrido, se posicionando que o único inconveniente seria o fato do uso de uma dose a mais já que para os imunizados com vacinas diferentes se sugere a aplicação de outra dose de umas das duas vacinas tomadas.

Não dá para aceitar esse tipo de desculpa, sabemos que esse erro é reflexo de anos e anos de precarização na saúde, da lei de teto de gastos que afeta não só a saúde, mas a também a educação e a assistência social. A justificativa desse erro e tanto outros no enfrentamento da pandemia também está na falta de contratação de trabalhadores, em meio a uma guerra contra a pandemia onde os salários estão atrasados. A responsabilidade por tantos erros na vacinação é de Bolsonaro e dos governadores.

No Brasil vivemos na pele os efeitos de um governo genocida que não mede esforços para que a pandemia seja ainda mais cruel do que ela é por natureza. Com demora para providenciar a compra de vacinas, fake news para criar confusão sobre a importância da imunização e uma sem fim de ações ou falta de ações que só nos prejudicam na luta para que a pandemia se torne mais breve e encontremos um meio de controlá-la.

Não podemos fechar os olhos para o fato de que isso tudo só ocorre porque a condução do enfrentamento à pandemia está nas mãos dos grandes capitalistas e de governantes demagogos que estão à serviço da garantia de seus lucros.
É preciso que a classe trabalhadora, linha de frente na luta contra a doença, se posicione e denuncie cada vez mais essa condução nefasta que tem levado a morte milhões de pessoas e que brinca com a vida dos nossos irmãos de classe. Esse fato vem para reforçar que é urgente a tomada pela condução do enfrentamento à pandemia, em nossas mãos. É necessário que as fabricantes das vacinas sejam responsabilizadas por danos que possam ocorrer a pequeno, médio e longo prazo, que as patentes sejam quebradas, que haja vacinação em massa controlada pela classe trabalhadora.

Ouça e compartilhe o Podcast Peão 4.0!

Todos os dias, ouça a realidade contada a partir dos trabalhadores em 5 minutos!

💬 Quer denunciar? Mande seu relato para +55 11 97750-9596
E siga o Esquerda Diário nas redes e plataformas de streaming!




Tópicos relacionados

BolsonaroGenocida   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os golpistas   /    Vacina contra a covid-19   /    Vacina   /    Vacinação   /    Sociedade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar