EM SOLIDARIEDADE

Mestre Mário, presente!

Nossos sentimentos e solidariedade em nome de todo MRT de Minas Gerais à comunidade quilombola dos Arturos pela perda de seu patriarca Mário Brás da Luz, filho de Artur Camilo Silvério.

sexta-feira 7 de maio| Edição do dia

Mestre Mário era o último filho vivo do fundador da comunidade. Esta que também representa a luta da resistência negra em Contagem e em Minas Gerais. Mestre Mário foi vítima de Covid e da política negacionista do governo Bolsonaro e Mourão e desse regime fruto do golpe institucional, para quem as comunidades quilombolas e as vidas negras não valem nada.

A tradicional Comunidade Negra Arturos, um símbolo histórico, cultural e de resistência sediada na cidade de Contagem, região metropolitana de Minas Gerais, descende de Camilo Silvério da Silva, negro escravizado, que chegou ao Rio de Janeiro em um navio negreiro vindo de Angola no século XIX.

Transferido para trabalhar em terras mineiras na lavoura e nas minas, criou raízes, teve filhos, dentre eles Artur Camilo Silvério (daí o nome da comunidade Arturos) responsável pela criação das raízes da comunidade ao lado de sua companheira Carmelinda Maria da Silva, o casal teve filhos, dentre eles o Mestre Mário que era atualmente o patriarca da comunidade que conta hoje com 80 famílias e aproximadamente 500 pessoas.

Toda solidariedade à Comunidade dos Arturos, parte da luta de nosso povo contra essa elite herdeira da escravidão.

Mestre Mário, presente!

Foto: Divulgação/ Comunidade dos Arturos




Tópicos relacionados

Minas Gerais   /    Contagem   /    [email protected]

Comentários

Comentar