Mundo Operário

DENÚNCIA

Merendeiras sem salário desmascaram Paes: sua preocupação com os trabalhadores é mentira

As merendeiras do município estão há mais de 2 meses sem salário e nem mesmo um auxílio para se alimentar estão recebendo. É uma situação absurda. Elas denunciaram essa situação em live do prefeito carioca.

quarta-feira 24 de março| Edição do dia

Hoje Eduardo Paes (DEM), prefeito do Rio de Janeiro realizou uma live para mostrar algumas medidas diante da pandemia, inclusive um auxílio regional que atingirá parcela pequena dos vários milhões de cariocas que sofrem não somente com a doença mas com um desemprego e fome galopantes.

Na live Paes tentou mostrar preocupação com os trabalhadores, mas durante a própria transmissão ficou escancarado como sua preocupação é pura mentira, não só pela falta de cuidados na pandemia mas também com a condição das pessoas se alimentarem, terem salários. Trabalhadoras merendeiras, sem salários há mais de dois meses, invadiram sua transmissão para denunciar a situação.

O Esquerda Diário já noticiou diversas vezes essa situação revoltante que acontece com merendeiras tanto da prefeitura como do Estado, como nesta denúncia que fizemos em fevereiro relativa a salários de 2020 relativa a empresa PRN, hoje a voz foi tomada por trabalhadoras de outras empresas.

As trabalhadoras merendeiras, em sua maioria mulheres negras, são funcionárias de empresas terceirizadas que dão calote nas trabalhadoras e diante das quais a prefeitura de Paes lava suas mãos. A terceirização divide os trabalhadores, criando trabalhadores com menores direitos e nem mesmo direito a salário e alimentação como vemos nesse caso. Por outro lado a terceirização proporciona lucros gigantescos para estas empresas.

O Esquerda Diário está aberto para receber denúncias de cada abuso dos patrões e dos governos e também para divulgar e apoiar cada mobilização dos trabalhadores por seus direitos. Envie sua denúncia para o whatsapp +55 11 97750-9596.




Tópicos relacionados

Eduardo Paes   /    Terceirização   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar