Sociedade

ÁGUA

Mais uma vez com a negligência do Estado, moradores do Rio relatam gosto de terra na água

Em relatório de medição de qualidade da água da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) divulgado hoje (quinta, dia 4) apenas confirmou o que a população já tinha reclamado, água com gosto e odor acima do aceitável.

sexta-feira 5 de fevereiro| Edição do dia

Imagem: Reprodução/TV Globo

O monitoramente feito nesse início de ano apontou que o nível de geosmina (composto orgânico produzido bactérias e fungos após chuva, responsável pela alteração do gosto e do odor da água) é de grau 8, acima do padrão de no máximo 6 estabelecido pelo Ministério da saúde.

A água em situação ruim de consumo atinge milhões na cidade do Rio de Janeiro desde de 19 de janeiro, o problema retorna anualmente. É absurdo a população ser privado ao acesso de água apropriada para o uso, obrigando gastarem com água mineral com galões que chegam à R$10. O problema é mais escandaloso ainda no momento de pandemia, no qual é imprescindível água para poder realizar todas medidas sanitárias.

O presidente da Cedae, Edes Fernandes de Oliveira, teve a coragem de afirmar que não sentiu nenhum gosto ou odor na água. Ele disse que bebe água da torneira e que sentir gosto e cheiro de terra na água depende da percepção olfativa de cada pessoa. Ou seja, Oliveira nega o relatório da companhia que ele mesmo preside e ignora os milhares de relatos da população que passa por essa situação inaceitável, essa é a "solução" encontrada por ele.




Tópicos relacionados

Privatização da Água   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade

Comentários

Comentar