Mãe do negacionista véio da Havan morre de Covid-19 em SP

Regina Modesti Hang, de 82 anos, morreu de infecção generalizada após 1 mês internada em hospital na capital paulista, com 95% dos pulmões comprometidos. Seu filho, Luciano Hang, o empresário bolsonarista conhecido como "véio da Havan", é famoso por seu negacionismo como o de Bolsonaro, e por encabeçar protestos contra o fechamento de suas lojas em cidades em estado crítico.

sexta-feira 5 de fevereiro| Edição do dia

Foto: Divulgação

Veio a óbito devido ao coronavírus a mãe do dono das lojas Havan, o "véio da Havan", Luciano Hang. O bolsonarista por excelência, que também se contaminou, havia recebido alta em 20 de janeiro. "Dona Regina", que esteve presente em inaugurações de diversas das mais de 155 lojas do filho, foi internada com quadro febril em 27 de dezembro e morre nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, com um quadro de infecção generalizada e 95% dos pulmões comprometidos.

Com fortuna estimada em R$ 8,26 bilhões e na 36ª posição da lista de bilionários brasileiros elaborada pela Forbes, o empresário ficou conhecido por diversos escândalos, entre eles: coagir 60 mil trabalhadores a votarem em Bolsonaro em 2018, financiar ilegalmente disparos de fake news por whatsapp, dever R$168 milhões ao INSS e ter comprado um jatinho de R$250 milhões, defender o corte de salários e minimizar a seriedade do vírus, entre outros.

Hang é, desde o início, um dos principais aliados de Bolsonaro e enriqueceu milhões ancorado em seu governo. Tem fomentado com ele o negacionismo do coronavírus e protagonizou campanhas pela reabertura das economias nos locais onde mantém suas lojas, bem como imitou Bolsonaro e se limitou a apostar tudo no uso da cloroquina, enquanto seus funcionários ficavam expostos sem garantia de testes.

O véio da Havan é cúmplice de Bolsonaro na morte de mais de 227 mil brasileiros, assim como o restante do regime em seu descaso. Sempre soube que teria o melhor tratamento disponível para si e para sua família em caso de contaminação, mas, na lei das probabilidades, não contava com os pontos fora do cálculo que o dinheiro não pôde evitar. Hoje, os Hang choram seu luto, mas permanecem cinicamente separados por bilhões de dólares de todas as milhares de famílias que perderam alguém em 2020 e das que ainda perderão ao longo dessa crise - cuja responsabilidade pela dimensão absurda recai sobre os tipos como Luciano: os capitalistas.




Tópicos relacionados

Negacionismo   /    bolsonarismo   /    Coronavírus   /    Luciano Hang   /    Lojas Havan

Comentários

Comentar