×

Absurdo | Machismo: Unimed exige autorização do marido para uso do DIU

Planos de saúde têm exigido às mulheres casadas o consentimento de seus maridos para autorizarem o procedimento de inserção do método contraceptivo DIU (dispositivo intrauterino).

quarta-feira 4 de agosto | Edição do dia

Foto: UNIMED/Reprodução

Cooperativas da Unimed João Monlevade e Divinópolis, em Minas Gerais, e Ourinhos, no interior de São Paulo, foram consultadas e confirmaram a informação, que consta nos Termo de Consentimento para inserção do contraceptivo. Via assessoria de imprensa, as unidades de Divinópolis e Ourinhos informaram que abandonaram a exigência após o contato da Folha.

Sobre o assunto: Pandemia, surto de gestações indesejadas e alta da taxa de mortalidade materna e infantil

A cooperativa de João Monlevade nega exigir o consentimento, mesmo diante da confirmação da central de atendimento. A cooperativa afirma que apenas recomenda que o termo seja compartilhado, por isso o espaço para a assinatura do companheiro. Para exigir a assinatura do marido, as seguradoras se amparam na lei 9.263 de 1996, que dispõe sobre o planejamento familiar. Ela estabelece que a realização de laqueadura tubária ou vasectomia deve ser feita somente com “consentimento expresso de ambos os cônjuges”, a lei, porém, não contempla métodos contraceptivos como o DIU.

Pode interessar: Governo tenta criminalizar aborto até em caso de estupro e risco de vida da gestante! Abaixo ao PL 5435!

O consentimento do cônjuge contribui para situação de vulnerabilidade das mulheres, perante doenças na qual o DIU é uma alternativa e também perante relações de violência, tirando completamente o direito da própria mulher em decidir sobre a maternidade e sua própria saúde.

Leia também: Lutar por aborto legal, seguro e gratuito: contra os retrocessos de Bolsonaro e Queiroga




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias