×

Dia do Estudante | Lições da Libelu, resposta ao Milton Ribeiro, MP 1045, Amazônia e greve da MRV

Confira artigos e vídeos da Juventude Faísca para esse dia do estudante, refletindo política e teoricamente a necessária organização estudantil ao lado da classe trabalhadora para lutar contra Bolsonaro, Mourão e todos os ataques. Pelo nosso direito ao futuro, é preciso arrancá-lo das mãos dos capitalistas.

quarta-feira 11 de agosto | Edição do dia

Nesse dia do estudante queremos retomar o melhor da tradição de luta do movimento estudantil. Daqueles que durante a ditadura iam nas portas das fábricas panfletar para os trabalhadores, pois sabiam que na luta contra os militares a classe trabalhadora era sua grande aliada. Daqueles que se organizavam em assembleias e congressos clandestinos para debater como levar a frente cada batalha, se auto organizando. Da juventude de 68, com sua luta internacionalista e antiimperialista. Dos jovens franceses que questionavam a universidade de classes, para questionar a sociedade de classes. Dos milhões de jovens que do Chile a Mianmar, da Palestina aos EUA se levantam contra a miséria capitalista.

Confira o artigo Libelu, a juventude trotskista contra a ditadura e as lições para o Brasil de Bolsonaro de Giovana Pozzi

No Brasil de Bolsonaro e Mourão, onde o ministro da educação Milton Ribeiro, defende que as universidades devem ser para poucos, já engenheiros e outros profissionais formados são motoristas de uber, a Câmara dos Deputados, que aprovou a privatização dos Correios, agora aprova a MP 1045, que acaba com o vínculo trabalhista da juventude, sem FGTS, sem férias e sem 13º, com redução do valor das horas extras no telemarketing.

Sobre este absurdo ataque e nossa luta contra ele, leia: Abaixo a MP1045 que tira férias, FGTS, 13º e vínculo trabalhista da juventude de vez

Confira resposta de Luno S, coordenador do CADI da UFRGS, ao Ministro Milton Ribeiro e à MP 1045

Nos reservam um futuro de miséria, com desemprego e mais exploração, e por isso, cortam o orçamento das universidades. Nossas florestas queimam, cidades na Alemanha e na China são inundadas por chuvas nunca vistas com esta intensidade, a covid-19 já matou mais de 5 milhões em todo o mundo e Biden faz demagogia com a Amazônia enquanto atira bombas no Oriente Médio.

Confira artigo de Lina Hamdan, representante de Artes Visuais na UFMG e Marie Castañeda, estudante de Ciências Sociais da UFRN: Arrancar Biden e o agronegócio da Amazônia! Fora Bolsonaro e Mourão!

A UNE e a maioria das entidades estudantis ao invés de defender que nossa força e energia nas ruas deveria ser para lutar para pressionar o congresso a aceitar o impeachment que levaria Mourão ao poder, deveria ter no centro da sua política a orientação de que as entidades estudantis realizassem assembleias de base, construindo um comando nacional de articulação dos estudantes, para se aliarem a classe trabalhadora na luta por uma greve geral onde pudéssemos unificar a luta em defesa da educação, com a luta contra a privatização dos Correios, e por #ForaBolsonaroeMourao.Queremos que o movimento estudantil possa novamente voltar a fazer história na sua luta contra esse sistema capitalista. Essa é a batalha que damos nas ruas, nas universidades e nos locais de trabalho. E também o porquê de cercarmos a greve dos 700 trabalhadores da MRV em Campinas-SP de solidariedade todos os dias, que se enfrentam com uma empresa que impõe condições de trabalho escravas. São os capitalistas que devem pagar pela crise!

Confira Sagüi, estudante de Pedagogia da UNICAMP e Brisi, estudante de Ciências Sociais e integrante da chapa minoritária do CACH-IFCH




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias