Política

ABAIXO A COMEMORAÇÃO DO GOLPE DE 64

Letícia Parks: "Braga Netto faz alusão à ditadura, nós queremos varrer toda essa herança"

Na noite de ontem, terça (30), nas vésperas do aniversário de 57 anos do golpe de 1964, o general Braga Netto soltou a Ordem do Dia absurda do Ministério da Defesa fazendo alusão à ditadura. O Esquerda Diário falou com Letícia Parks, professora, fundadora do Quilombo Vermelho e militante do Pão e Rosas.

quarta-feira 31 de março| Edição do dia

"No ano passado, foi o general Fernando Azevedo que soltou a Ordem do Dia, no 31 de março, pelo Ministério da Defesa, dizendo que a ditadura civil-militar ’assegurou a democracia’. Nesse ano de 2021, ontem a gente viu o general Braga Netto, novo ministro de Bolsonaro, fazer a vez. Lá ele fala que as Forças Armadas acabaram ’assumindo a responsabilidade de pacificar o país, enfrentando os desgastes para reorganizá-lo e garantir as liberdades democráticas que hoje desfrutamos’. Isso é reflexo da mentira, injustiça e esquecimento propositais das perseguições, torturas, mortes e ataques contra os trabalhadores e a juventude na ditadura para utilizar seus entulhos até hoje, como a Lei de Segurança Nacional. Os militares são parte dos golpes de ontem e de hoje. A gente, os trabalhadores, a juventude, as mulheres, os negros, as LGBT, têm que combater todos eles.

A gente não pode aceitar que intimem e prendam jovens, trabalhadores, docentes, que se manifestem hoje contra Bolsonaro e sua política pra pandemia, se utilizando de uma lei que existe desde o governo do militar Figueiredo, em 1983. E essa lei é usada ao bel prazer e sadismo de juiz, que pode julgar segundo sua opinião "individual", sendo que na verdade a gente sabe que é pra fazer valer desde já o afogamento de embates futuros dos trabalhadores e da juventude contra os ataques de Bolsonaro, Mourão, militares, governadores e todos os golpistas, e fazer que os ditadores e torturadores de 64 a 85 continuem impunes.

A LSN é uma criminalização em torno da qual se unificam todos os atores do regime político do golpe institucional, como os governadores que em cada estado comandam polícias assassinas e racistas. Isso também avaliza que Xuxa diga tranquilamente, e mesmo que peça desculpas depois, que sejam testados remédios em presidiários. Pelo menos 34% está preso sem julgamento e massa carcerária é massivamente negra, que triplicou nos anos de governos do PT. A gente precisa falar e lutar contra isso.

É inaceitável essa comemoração de uma ditadura em que negras e negros foram mortos, presos e perseguidos apenas pela sua cor, sob o argumento de ’vadiagem’ usado pela ditadura, e também massas indígenas sofreram um verdadeiro genocídio simbolizados pelo horror dos aviões da morte.

Por isso, a gente tem que lutar por julgamento e punição a todos os torturadores e arrancar do Estado a abertura dos arquivos da ditadura. Braga Netto faz alusão à ditadura, então que a gente se organize, em cada local de trabalho e estudo, contra ele, Bolsonaro e os golpistas de hoje pra varrer toda essa herança, e revogue também a Lei de Anistia, que é o que garante a impunidade, por meio da transição pactuada na Constituição de 88, que inclusive o PT foi parte, e é o que permite que o presidente e seus ministros façam declarações tão asquerosas livremente.




Comentários

Comentar