MRT

REDE INTERNACIONAL LA IZQUIERDA DIARIO

La Izquierda Diario: 5 anos de uma experiência inédita a nível internacional

Reflexões e desafios no marco do quinto aniversário da edição argentina da rede internacional La Izquierda Diario*: as conquistas e o que se aproxima em tempos de crise.

segunda-feira 16 de setembro| Edição do dia

*La Izquierda Diario é o nome da edição argentina e também do nome da rede internacional de jornais da qual o Esquerda Diário faz parte.
Em 16 de setembro de 2014, no aniversário de 38 anos do que ficou conhecido como a Noite dos Lápis (em que o regime militar argentino sequestrou e assassinou estudantes secundaristas), saía a primeira edição do La Izquierda Diario.

Assim começava uma inovadora e ambiciosa experiência do jornalismo militante, impulsionada pelo PTS (organização-irmã do MRT na Argentina) na Frente de Izquierda. Tomando o lado das lutas e das causas dos explorados e oprimidos, a publicação se propôs desde seu início abrir o caminho, sem financiamento de governos nem de empresários, à luta contra os meios de comunicação dos poderosos, com seus encobrimentos e mentiras.

Além da contribuir para as lutas cotidianas, a batalha de ideias era um objetivo desde o começo. Dar um salto para além dos estreitos círculos tradicionais da esquerda, para se propor chegar a setores de massas, batalhando contra as usinas ideológicas das classes dominantes e apostando numa maior influência política e cultural da esquerda. Definitivamente, contra toda orientação meramente sindicalista ou eleitoralista, dar-se a grande ambição de ser uma contribuição para semear as ideias necessárias para a emancipação dos explorados.

O desafio estava no ar, juntamente ao vertiginoso ritmo de fornecer respostas frente à realidade, minuto a minuto, com uma perspectiva de esquerda. Diferentemente de outras mídias, nossos cronistas foram, desde o princípio, milhares de trabalhadores, estudantes, mulheres, jovens que, a partir de cada local de trabalho e estudo, desde cada bairro, fizeram chegar até nós suas denúncias. Assim, o La Izquierda Diario começava a ser um meio para dar voz aos que, em outros lugares, não a possuem.

Rapidamente, essa experiência se expandiu e não estivemos sozinhos. Hoje, a rede internacional Esquerda Diário está presente em 12 países e 8 idiomas distintos, na América Latina, Estados Unidos e Europa. Oito idiomas diferentes, mas uma mesma voz socialista, operária e internacionalista. No Brasil e na França, inclusive, atingiu picos de vários milhões de acessos mensais, no calor dos processos políticos e da luta de classes nesses países. Atualmente estamos comemorando também o crescimento do Left Voice nos EUA, que começa a expandir-se, superando 100 mil acessos mensais.

Na Argentina, o ágil desenvolvimento do projeto o converteu rapidamente na publicação de referência da esquerda argentina, sendo seguida e reconhecida por uma ampla gama de jornalistas, intelectuais e lutadores. No dia de hoje, muitos deles nos enviaram suas saudações pelo nosso quinto aniversário.

Em agosto do ano passado, atingimos o recorde de visitas desde aquele setembro de 2014. Foram 3.118.070 sessões de acesso informadas pelo Google Analytics. Até o fim de 2019, temos a projeção de um total de mais de 30 milhões de visitas neste ano. Estes dados expressam o enorme salto que representa o La Izquierda Diario, em comparação com as publicações da esquerda de anos atrás.

Porém, a isso deve-se somar também o crescente peso nas redes sociais, com 237.000 seguidores no Facebook, 65.200 no Twitter, 61.600 no Instagram e 18.200 no Youtube. Estes números, somados aos acessos na internet, representam um alcance mensal de milhões de pessoas, assim como dezenas de milhares de reproduções de vídeos.

Os números da influência conquistada são um grande motivo de orgulho para nós, pois consideramos que esta é uma nova base para ir por mais, buscando chegar cada vez mais longe com o peso de nossas ideias e nossas ferramentas de organização.

Uma aposta de inovação permanente

A força de nosso projeto se baseia no fato de ser uma mídia sem nenhum compromisso com os poderosos. Em anos de “jornalismo de guerra” e fake news, nosso apoio reside em nossa independência política e na força dos trabalhadores, das mulheres e da juventude.

Recentemente, lançamos também a Comunidade La Izquierda Diario, com benefícios e promoções para os inscritos em nossa página, e a aposta de que nossa mídia se sustente financeiramente, cada vez mais, com contribuições mensais e voluntárias. Este desafio é redobrado nos tempos atuais: em épocas de crise se torna cada vez mais necessária a contribuição para sustentar um projeto coletivo. Também é sabido que nossos legisladores e legisladoras eleitos(as) contribuem para isto, já que recebem o salário médio de um trabalhador e doam a diferença deste valor às causas operárias e populares, dentro das quais está a contribuição para o La Izquierda Diario.

No entanto, outra base fundamental do La Izquierda Diario sempre foi a inovação. Nascemos com a convicção de sempre buscar as vias e ferramentas mais avançadas para que as ideias de esquerda tenham o maior alcance e influência possíveis.

Assim, à seção informativa e editorial central de nosso diário, foram sendo agregadas iniciativas permanentes de multimídia e multiplataforma. Na semana passada, lançamos a última delas, nosso mais recente programa “Reperfilados”, com uma análise econômica de esquerda. Faz parte de uma constante aposta, que inclui também o programa de rádio “El Círculo Rojo” transmitido todos os domingos pela Radio com Vos na Argentina, o Campus Virtual IPS Karl Marx e todos os diversos formatos que elaboramos para a internet e cada uma das redes sociais.

No terreno ideológico e cultural, o suplemento dominical Ideas de Izquierda (tendo sua edição brasileira, Ideias de Esquerda, publicada também semanalmente) tornou-se uma referência no debate de ideias nos últimos tempos e também é publicado em material impresso, no formato de revista, a cada dois meses – além de nossas seções de Cultura, do canal do Youtube La Izquierda Diario-Historia e do suplemento literário “LIDteratura” que sai todos os sábados.

Dentre as coberturas jornalísticas, tiveram grande impacto nossas investigações sobre o crime de Estado contra Santiago Maldonado, que denunciaram as mentiras do Governo, dos serviços de inteligência e de outras mídias; ciclos de entrevistas como a de Fernando Rosso a Carlos Pagni, Julio Blanck, Horacio Verbitsky e José Natanson; denúncias que tiveram ampla repercussão, como as dos casos de discriminação contra as empregadas domésticas no distrito de Nordelta e que posteriormente foram levantas por vários outros jornais; nossos drones que captaram imagens, que muitos queriam ocultar, da enorme multidão que se mobilizou em 18 de dezembro de 2017 na Argentina contra a Reforma da Previdência; as centenas ou milhares de lutas que mostramos e que só podem ser expressadas veridicamente no La Izquierda Diario; dentre as mais destacadas.

O uso das melhores tecnologias também sempre foi uma de nossas aspirações. Fomos pioneiros no uso de drones para mostrar as mobilizações massivas e apostamos na maior capacidade criativa para poder transmitir desde as ruas em meio a circunstâncias adversas, superando a censura ou repressão. Neste sentido, estamos orgulhosos de nossa equipe de desenvolvimento, que recentemente foi reconhecida no último Media Party (evento de três dias que une o mundo dos meios de comunicação com a tecnologia), ganhando um prêmio para por de pé um ambicioso projeto de análise e fiscalização de processos eleitorais na Argentina.

Por outro lado, o La Izquierda Diario é impulsionado pelo PTS, mas aberto a debates e contribuições. Assim tem sido nestes últimos anos, em que centenas de jornalistas, intelectuais e lutadores publicaram suas colunas em nossa mídia, ou nos concederam entrevistas, e em que também abrimos nosso espaço às polêmicas dentro da esquerda, as quais consideramos indispensáveis para o enriquecimento do debate político. Ao mesmo tempo, abaixo de cada nota ou vídeo dispomos um espaço livre para a publicação de comentários por parte de nossos leitores, que também por esta via nos trazem suas denúncias, para que as possamos difundir.

Apenas começamos: junte-se a nós para que nesta crise a voz da esquerda seja cada vez mais forte

Na Argentina, são difíceis os tempos em que vivemos, e os que estão por vir. Macri se vai, mas o FMI, a crise e a dívida ficam. Alberto Fernández já se comprometeu a “honrar” seu compromisso com o capital financeiro internacional, e seguirá com os ajustes e ataques contra as maiorias.

Para o que está por vir, é necessária uma voz e uma força militante, que batalhem contra os ataques e levantem uma saída para que mais uma vez a crise não termine em um saque ao povo trabalhador, mas para que seja paga pelos capitalistas.

Junto ao PTS e à Frente de Izquierda y de Trabajadores Unidad (FIT-Unidad), esta é nossa aposta. Temos orgulho do que conquistamos, mas sabemos que para enfrentar os planos dos poderosos será preciso muito mais.

Por isso, fazemos o convite aos nossos leitores para que contribuam com o Esquerda Diário, difundindo nosso material com seus conhecidos, companheiros de trabalho, de estudo e de bairro, para que nossas ideias cheguem o mais longe possível, enviando-nos suas opiniões ou denúncias: cada um de nós, com um celular, pode ser um cronista de nossas lutas e demandas. E também para que contribuam financeiramente com nosso diário, porque para seguir adiante com este projeto em meio à crise, precisaremos de sua ajuda.




Tópicos relacionados

PTS   /    Fração Trotskista (FT-QI)   /    MRT   /    PTS na FIT

Comentários

Comentar