Política

MISOGINIA DA EXTREMA-DIREITA

Janaína Paschoal sai em defesa do misógino Rodrigo Constantino

A deputada estadual paulista de extrema-direita, Janaína Paschoal, do PSL, veio defender Rodrigo Constantino depois que ele foi demitido de diversas rádios onde era comentarista, por causa de suas declarações em relação ao caso Mari Ferrer.

sexta-feira 6 de novembro| Edição do dia

(Foto: Divulgação / Imagem de Arquivo)

Após o absurdo caso de Mari Ferrer, onde a vítima foi culpabilizada pelo Poder Judiciário, o comentarista bolsonarista Rodrigo Constantino deu declarações também culpando as mulheres pela violência que sofrem, proferindo absurdos como dizer que puniria sua filha caso ela fosse estuprada, e também dizendo que existem mulheres que são “vagabundas” e “piranhas”, além de reclamar das “feministas mal-amadas”.

Estas declarações levaram a que ele fosse demitido de redes de mídia como a Jovem Pan, Record, Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo.

Leia também: Constantino é repulsivo ao culpabilizar as mulheres por estupros, vamos às ruas contra isso, diz Letícia Parks

Janaína Paschoal, que protocolou o pedido de impeachment de Dilma e que se elegeu na onda bolsonarista em 2018, veio em defesa de Constantino, contemporizando sua fala. Afirmou que ele se expressou de maneira infeliz e estava em um dia ruim, e sofria perseguição política por suas posições, e afirma ainda que se fosse alguém de esquerda defendendo a presença de adolescentes em pancadões para “transar com o bonde” estaria sendo defendido.

Janaína ignora a intensa repressão que os pancadões sofrem, como o que ocorreu no início de 2020 em Paraisópolis, onde 9 jovens foram assassinados em uma operação policial em um baile funk. Além disso, ela contemporiza a culpabilização da vítima em casos absurdos de violência contra a mulher.

Por isso, é necessário um feminismo que enfrente a extrema-direita, e toda a burguesia que não pode garantir direitos para as mulheres. Só as força das ruas pode impôr justiça para Mari Ferrer e enfrentar até o fim o machismo.




Tópicos relacionados

#JUSTIÇAPORMARIFERRER   /    Mari Ferrer   /    Caso Mari Ferrer   /    Janaína Paschoal   /    Extrema-direita   /    São Paulo (capital)   /    Política   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar