#JustiçaPorMarcelo

Indignação e emoção marcam forte ato por justiça para Marcelo na Cidade de Deus

Ato por justiça no local do assassinato de Marcelo reúne familiares, amigos, moradores e movimentos sociais no Rio de Janeiro

terça-feira 5 de janeiro| Edição do dia

Na tarde de hoje, familiares, amigos, moradores da Cidade de Deus, movimentos sociais de luta por justiça e contra a violência praticada pelo Estado estiveram em ato no Viaduto, na Linha Amarela, na altura da Cidade de Deus, onde Marcelo foi assassinado. Marcelo Guimarães, trabalhador de 38 anos, marido e pai arrancado da sua família com um tiro, foi morto enquanto passava de moto por esse viaduto. A população afirma ter visto os disparos serem efetuados por policiais e, ontem mesmo, já haviam fechado a via em protesto.

O ato de hoje foi marcado pela emoção e pela indignação de familiares e amigos. A sua esposa, Clara, em fala emocionada relata ao Esquerda Diário que aquele era um lugar de passagem cotidiana de Marcelo. No momento do seu assassinato ele passava por ali após ter deixado seu filho na creche. Marcelo tinha 3 filhos e sua esposa recebeu a notícia de seu assassinato enquanto estava no trabalho. Veja abaixo uma fala de Clara no ato de hoje

Vitória, filha de Marcelo que denunciou nas redes sociais a morte de seu pai mais uma vez questionou a versão oficial da PM carioca que alega que a morte de Marcelo foi resultado de um “confronto”. Uma resposta padrão, usada para justificar cotidianamente a morte de negros e negras, trabalhadores e pobres no Rio de Janeiro, principalmente nas favelas e na Baixada Fluminense. Como ressalta Vitória e como foi dito várias vezes durante a manifestação, não houve confronte, mas sim um assassinato, com um único tiro que ceifou a vida de mais um trabalhador.

Mães de jovens assassinados pelo Estado, do coletivo Mães de Manguinhos, também compareceram ao ato em solidariedade para dizer que a vida de Marcelo Importa e que vão seguir nas ruas exigindo justiça. Bruna, mãe de Marcos Vinicius, morto com a roupa da escola em seu corpo estava presente e deu uma declaração ao Esquerda Diário, veja abaixo

Os manifestantes, após prestarem uma homenagem no viaduto, saíram em ato com os familiares de Marcelo a frente pelas ruas da Cidade de Deus exigindo justiça. Enquanto ocorria a manifestação a polícia passou com o blindado, o Caveirão, no trajeto do ato numa clara tentativa de intimidação. Na noite de ontem, um policial pelo Twitter, havia realizado uma ameaça aos moradores e manifestantes.

Nós do Esquerda diário nos somamos aos gritos de justiça entoados no ato de hoje. Basta de violência policial! Vidas negras importam! #JustiçaPorMarcelo




Tópicos relacionados

Brutalidade policial   /    Racismo de Estado   /    #JustiçaParaMarielle   /    Racismo   /    Violência policial   /    Rio de Janeiro   /    [email protected]

Comentários

Comentar