Sociedade

QUEIMADAS NA AMAZÔNIA

Incêndios na Amazônia nos últimos meses foram os maiores do ano

terça-feira 17 de novembro| Edição do dia

A política do governo Bolsonaro de aproveitar a pandemia para “passar a boiada’’ reflete negativamente com números recordes de queimas na Amazônia. Os incêndios nos últimos meses foram os maiores nesse último ano. Segundo dados divulgados pelo G1, em agosto ocorreram 29.307 queimadas e em setembro 32.016. A grande maioria desses incêndios são em áreas públicas sem destinação, essas áreas são as áreas mais vulneráveis a atividades ilegais dos especuladores de terra e grileiros.

“— O fogo espontâneo é muito raro na Amazônia. Então, se há queimadas em um local sem proprietário cadastrado, é sinal de que alguém ocupou ilegalmente aquele território — explica Cláudio Almeida, coordenador do Programa de Monitoramento da Amazônia e Demais Biomas.” Por atrás das queimas existem interesses dos grandes latifundiários que buscam lucros com a destruição das nossas riquezas naturais.

A situação dos biomas brasileiros em chamas é reflexo daquilo que o governo Bolsonaro potencializou: plenos poderes para latifundiários da pecuária e do agronegócio como um todo, os quais fazem parte da Bancada do Boi, que representa uma força reacionária do Congresso e que está intimamente relacionada ao interesses da extrema direita de Bolsonaro e seus respectivos objetivos capitalistas ligados aos bilionários que roubam terras de florestas, vendem nossas riquezas naturais para empresas do capital internacional, assassinam povos indígenas e destroem a qualidade de vida da população como um todo por meio das queimadas que alteram o desenvolvimento natural dos biomas.

Pode interessar: Crime do agronegócio: 72% das queimadas em 2019 na Amazônia ocorreram em grandes fazendas




Tópicos relacionados

Queimadas   /    Queimada   /    Amazônia   /    Ricardo Salles   /    Ministério do Meio Ambiente   /    Sociedade   /    Meio Ambiente

Comentários

Comentar