×

GCM racista | Imigrante negro é espancado violentamente quando vendia roupas nas ruas de Osasco

Na segunda-feira (14) um imigrante negro que vendia roupas nas ruas do centro de Osasco-SP foi espancado deliberadamente por policiais da Guarda Civil Metropolitana em mais um ato covarde de racismo policial.

sexta-feira 16 de julho | Edição do dia

Na segunda-feira (14) um imigrante negro que vendia roupas nas ruas de Osasco foi espancado deliberadamente por policiais da Guarda Civil Metropolitana em mais um ato covarde de racismo policial.

As cenas de violência racista foram registradas por câmeras de celulares de pessoas que passavam pelo local. O imigrante negro estava vendendo seus produtos dispostos na calçada quando foi abordado repentiamente pelo guarda municipais. No vídeo que reproduzimos abaixo, é possível ver que enquanto um dos guardas tentam imobilizar o vendedor, outro o atinge sistematicamente com o cassetete de forma covarde.

No vídeo fica clara a indignação das pessoas que presenciaram a ação da guarda. Elas pediam insistentemente que os GCMs parassem com as agressões que seguiram até que o ambulante fosse imobilizado. É possível ouvir gritos de desespero frente a tamanha violência desmedida.

Essas cenas indignantes são o retrato do racismo estrutural perpetrado pelos capitalistas, suas instituições e operado por seus cães de guarda fardados. De acordo com uma pesquisa recente, 79% dos assasinados pela polícia eram negros.

Por meio de uma nota emitida pela Secretaria de Combate ao Racismo da prefeitura de Osasco, o município afirmou que atua contra o racismo e que os policiais irão passar por formação, e que repudia e combate tais atos. Uma resposta de praxe de todo poder público que é obrigado a reconhecer atos racistas de suas forças policiais e suas instituições mas que só serve para encobrir o papel das forças de repressão que atuam sistematicamente oprimindo e matando a população negra que ocupa os piores postos de trabalho, tem as mais baixas remunerações, os que mais sofrem com o desemprego e são as maiores vítimas da violência estatal.

Assim como o prefeito Rogério Lins do Podemos, Bolsonaro e Mourão também são responsáveis pela escalada dos últimos anos da violência e morte que recai sobre a população negra. O interesse desses senhores é que os patrões possam extrair cada gota de sangue e suor dos negros pelo menos preço possível.

Saiba mais: Incentivados por Bolsonaro e Mourão, casos de racismo cresceram 30% em 2020 no Brasil

O racismo não vai cair enquanto existir o capitalismo, sistema de exploração que perpetua esse tipo de ideologia para super explorar os setores oprimidos da sociedade. tem que ser uma tarefa dos trabalhadores, em aliança co o povo negro, as mulheres e a juventude derubart esse sistema e todas suas as formas de opressão e exploração.

Pode interessar: Brasil bate recorde em número de mortos pelas mãos da polícia em 2020, segundo Anuário




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias