Sociedade

BRUMADINHO

Identificada mais uma vítima da Vale no rompimento da barragem de Brumadinho

Com isto, chegou-se a 260 mortos já identificados. Última vítima havia sido identificada há 1 ano e 5 meses. Desastre causado pela Vale deixou 270 mortos, 10 deles ainda não identificados.

sexta-feira 28 de maio| Edição do dia

(Foto: Agência Brasil)

A vítima identificada é o operário da Vale, Renato Eustáquio de Sousa, que trabalhava como soldador e mecânico, e tinha 31 anos, e deixou esposa e duas filhas.

Leia também: Juiz e Fundação Renova ameaçam famílias que lutam por direitos após desastre de Mariana

O rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, em janeiro de 2019, foi um crime ambiental e humano cometido pela Vale, deixando 270 mortos e um enorme rastro de destruição do meio-ambiente. O poder público é cúmplice desse crime, permitindo que a Vale deixasse as barragens em situação de risco para evitar custos e aumentar seus lucros.

Leia também: 2 anos do crime da Vale em Brumadinho: lucros e impunidade garantidos pelo regime golpista

Por isso, é extremamente hipócrita o tweet do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), que disse que a identificação foi "um alento para as famílias das vítimas." Enquanto governador a época do rompimento, Zema é responsável por todas as mortes que ocorreram.

Leia também: Zema monta acordo para livrar Vale de indenização de 24 bilhões por crime de Brumadinho

Enquanto as famílias buscam identificar seus entes queridos e ainda são afetadas pela lama tóxica, a Vale segue lucrando bilhões 2 anos após o desastre.

Leia também; Fruto do desleixo capitalista, famílias em Brumadinho seguem sofrendo com vazão de lama




Tópicos relacionados

Lucro   /    Brumadinho    /    Romeu Zema   /    Vale    /    Minas Gerais   /    Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Partido Novo   /    Sociedade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar