×

PEC dos precatórios | Guedes chantageia com PEC dos precatórios: "Se não passar vamos tirar de todo o resto!"

Ministro da Economia falou em audiência virtual na Comissão das Relações Exteriores do Senado que "se não passar, vamos mandar orçamento de R$ 90 bilhões para precatórios e faltando dinheiro para todo o resto."

quinta-feira 19 de agosto | Edição do dia

FOTO: Fernanda Capelli/IG

Paulo Guedes afirmou que se o Congresso não aprovar a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) dos precatórios, o governo vai pagar o montante de R$ 90 bilhões em 2022, mas ficará sem dinheiro para "todo o resto".

Pode te interessar: Para dar pedalada em precatórios, Guedes põe privatizações e pré-sal no cálculo de fundo para pagamento

"Se não passar, vamos mandar orçamento de R$ 90 bilhões para precatórios e faltando dinheiro para todo o resto. Inclusive para salários nossos, no Executivo, no Judiciário, em todo lugar. Se tiver que descumprir uma lei, você descumpre a outra", disse em audiência virtual na Comissão das Relações Exteriores do Senado, nesta quinta-feira (19/08).

Veja também: Governo demagogicamente propõe acabar com regra de ouro através da PEC dos precatórios

O ministro ultraliberal afirmou que para cumprir a função constitucional de ministro da Economia, ele precisa do parcelamento da conta de precatórios. "[Sem isso e mantendo demais gastos] só se quiser mexer na Constituição", disse.

Veja mais: Nova PEC pode adiar pagamento de precatórios

Precatórios são dívidas da União com pessoas físicas, jurídicas, estados e municípios reconhecidas em decisões judiciais definitivas, ou seja, que não são mais passíveis de recursos e que devem ser pagas pelo governo. Para implementar o novo programa social, chamado Auxílio Brasil, em um ano de eleições, a área econômica do governo Bolsonaro, propôs o parcelamento de precatórios com valor acima de R$ 66 milhões. Ou seja, chantageia programas sociais e de primeira necessidade para a população mais necessitada e a classe trabalhadora, enquanto segue pagando religiosamente a dívida pública aos capitalistas, sendo esse pagamento que compromete a maior parte do orçamento federal. Chega de pagar essa dívida fraudulenta, ilegítima e ilegal! Que os capitalistas paguem pela crise!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias