×

Marcha de Mulheres Indígenas | Grupo de mulheres Pão e Rosas marcha junto às mulheres indígenas

Unir a luta dos indígenas à luta dos trabalhadores é o caminho para derrotar o Marco Temporal e todos os ataques. Por isso, nós mulheres do grupo Pão e Rosas estivemos juntas a II Marcha das Mulheres Indígenas buscando nos inspirar nesse enorme exemplo de luta.

sexta-feira 10 de setembro | Edição do dia

As mulheres indígenas protagonizam o mais recente capítulo da mobilização histórica dos povos originários em defesa das suas terras e de suas vidas. Hoje, 6 mil mulheres indígenas tomaram as ruas para protestar contra o Marco Temporal, contra a ofensiva do agronegócio através de seus lacaios, no Judiciário, no Congresso e em todo o governo Bolsonaro.

Nós do Esquerda Diário estivemos acampados com os indígenas desde o início dessa luta fazendo uma cobertura diária para essa luta que tanto a grande mídia tenta apagar. Na histórica Marcha das Mulheres não poderia ser diferente, nós do grupo de mulheres socialistas Pão e Rosas estivemos marchando junto a essas mulheres indígenas, nos solidarizando ativamente com essas guerreiras que historicamente estão na linha de frente.

A luta indígena, que em seu acampamento, nas suas vigílias e marchas, mostra que a mobilização é o caminho. Imagine a força que teria se em apoio à marcha dessas 6 mil mulheres estivessem o conjunto dos sindicatos e das entidades estudantis, mobilizando suas bases através de um plano de luta para barrar esse absurdo do Marco Temporal, mas também cada um dos ataques contra a classe trabalhadora, como as privatizações e reformas que mesmo em meio a crise sanitária, ao desemprego e a fome crescente seguem sendo aprovadas pelo regime.

Por isso que defendemos a necessidade de unir a luta indígena a classe trabalhadora, organizando um plano de luta, convocado em cada local de trabalho e estudo para barrar todos os ataques e se enfrentar contra todos os atores desse regime.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias