×

24S | Greve Global pelo clima: todos ao ato em Brasília no Museu Nacional

No dia 24 de setembro ocorrerá a Greve Global pelo Clima (Fridays for future), um evento massivo e global, liderado pela juventude, demandando ações imediatas e contundentes para o controle das mudanças climáticas. Em Brasília, a concentração será no Museu Nacional às 16h e é de extrema importância a mobilização das entidades estudantis e da juventude, frente às atrocidades ambientais do Governo Bolsonaro, junto com o Congresso e os militares e o agronegócio.

Jéssica SchülerDoutoranda em Ecologia pela UnB

terça-feira 21 de setembro | Edição do dia

Foto: Davi Boarato/BBC Brasil

É fato que estamos vivendo uma catástrofe ambiental em escala global. Mais de 1ºC de aumento da temperatura média do planeta levando ao derretimento das calotas polares, elevação dos níveis dos oceanos, ondas de calor, incêndios catastróficos, furacões maiores e mais frequentes, secas prolongadas e chuvas torrenciais. Tudo isso afeta a vida de milhões de pessoas, em especial as populações mais vulneráveis, que perdem seus meios de subsistência e são obrigadas a saírem de suas terras e seus países. A crise climática leva a uma onda de migrações e gera uma crise de refugiados quando os países imperialistas, responsáveis pelo colapso do planeta, se recusam a abrir as fronteiras.

Enquanto a grande maioria sofre junto com o planeta, os capitalistas seguem aumentando suas riquezas e jogando na nossa cara o quanto não se importam, e pior, o quanto ainda podem lucrar às custas da Terra. Aqui no Brasil, vemos o descaso da Vale com as vítimas de Brumadinho e Mariana, vemos o hediondo PL 490 colocando a existência dos povos originários em risco em prol do latifúndio e do agronegócio, assim como a permanente intervenção imperialista de Biden e as grandes empresas para destruir a Amazônia e o Cerrado e lucrar com nossos recursos naturais. Os ruralistas literalmente queimam nossas florestas e, agora mesmo, nossa Chapada dos Veadeiros com um incêndio que já queimou mais de 18 mil hectares de cerrado nativo. Tudo isso com a conivência e incentivo de Bolsonaro, Mourão, Congresso e até mesmo o STF.

É totalmente incoerente esperar que os próprios capitalistas ou os governos comandados por eles mudem esse cenário. É somente com a mobilização da juventude, aliada com a força da classe trabalhadora e dos povos originários, combatendo um sistema genocida que podemos salvar nossos ecossistemas. Vamos nos inspirar nos povos indígenas, que tomaram Brasília e nos dão um exemplo de luta, força e resistência. É com esse espírito combativo que todos devemos estar na rua dia 24 na greve mundial pelo clima. Esse é o chamado que fazemos a todos os estudantes da UnB e do Distrito Federal e às entidades estudantis para mobilizar os estudantes. Estamos no lugar onde foi o acampamento indígenas, onde nosso bioma está sendo queimado e sentido na pele a secura e as ondas de calor, precisamos tomar essa luta em nossas mãos. Nosso planeta é um, e só com a união e mobilização internacional que podemos derrubar esse sistema de morte que vamos salvá-lo. Os capitalismo e seus governos destroem o planeta, destruamos o capitalismo.

Participe do bloco da Faísca e do Pão e Rosas em Brasília, mande uma mensagem para 61 99903-2711 (Luiza)

Veja também: Greve pelo Clima: chamado aos CAs e DCE da UnB por uma grande campanha de mobilização

Também convidamos todes a participarem da plenária aberta da Faísca que ocorrerá neste sábado, 25/09, às 16h pelo Zoom, para a apresentação do manifesto internacional "O capitalismo e seus governos destroem o planeta, destruamos o capitalismo!". Por que combater o capitalismo e seus governos para avançar na resolução da crise ecológica global? Como unificar indígenas, trabalhadores, estudantes e oprimidos em luta contra a devastação ambiental? Quais bandeiras devemos erguer na greve global pelo clima e permanentemente? Venha discutir com a gente! Link para inscrições aqui.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias