×

CAPITALISMO | Governo quer flexibilizar validade de alimentos para agradar empresários de supermercados

A proposta, que veio após pedido dos representantes da Abras, teria como objetivo adotar nova regras que permitiria a venda de baixo custo dos alimentos e doações a partir de determinado prazo.

quinta-feira 17 de junho | Edição do dia

Foto: Carolina

A ministra Tereza Cristina, anunciou quinta-feira (17) no Fórum da Cadeia Nacional de Abastecimento, promovido pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) que vai criar um grupo de estudos, junto com o Ministério da Economia para avaliar a flexibilização das regras de validação dos alimentos no país e que entregará a proposta em 15 dias.

“A gente poderia fazer uma adaptação, sem precarizar nada. Podemos rever uma série de fatores e gargalos, principalmente em relação à validade dos nossos alimentos. A pandemia nos trouxe esse tema de maneira perceptível, temos que agir rapidamente”, disse a ministra.

Veja mais: Contra a privatização da Petrobrás e o aumento do gás de cozinha: congelamento dos preços já!

Com o sínico argumento de que estaria preocupado com o desperdício de alimentos e a fome da população mais carente, Guedes disse que vê com bons olhos a ligação entre o combate ao desperdício no país e programas sociais como Bolsa Família. Entretanto, frente a pandemia, o desemprego e a fome, onde 1 em cada 4 brasileiros afirmam a falta de comida na mesa, o governo Bolsonaro quer garantir o lucros dos grandes empresário como é do ramo de supermercados, enquanto fornece um auxílio emergencial totalmente insuficiente junto ao aumento dos alimentos, do gás e da luz.

Pode te interessar: Lira quer acabar com auxílio emergencial e atacar Eletrobrás e Correios




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias